Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Categorias

  • Nenhuma categoria

Blog

  • 13 nov

    Exposição coletiva sobre gambiarra na era digital

    Entre 19 de novembro a 15 de dezembro de 2010, o CentoeQuatro recebe a exposição coletiva Gambiólogos. A exposição tem entrada gratuita e apresenta uma seleção de obras que articulam os conceitos da gambiologia: objetos físicos e sistemas digitais experimentais que relacionam, de formas diversas, a idéia de “gambiarra tecnológica”.

    Sob curadoria de Fred Paulino (gambiologia.net), foram selecionados trabalhos de 24 artistas. Esses trabalhos são, geralmente produzidos de forma criativa, a partir da adaptação e reinvenção de materiais reciclados, aliados a tecnologias eletrônicas com maior ou menor grau de sofisticação.

    As obras experimentam formalmente com objetos do cotidiano apoiados sobre um suporte técnico eletrônico-digital. Dessa forma, articulam e intercruzam temas como: a computação física; a adaptação de materiais reciclados e tecnologia em desuso; a utilização de eletrônica de baixo nível no lugar de alta tecnologia; e o deslocamento industrial, utilizando aparelhos para finalidades distintas às quais foram inicialmente programados.

    Entre os artistas selecionados para participar da mostra estão: Evan Roth –(F.A.T. Lab / Graffiti Research Lab- EUA), Peter Vogel (Alemanha), Guto Lacaz (SP), Paulo Nenflídio (SP), Mariana Manhães (RJ), Milton Marques (DF), O Grivo (BH), Fernando Rabelo (BH), João Henrique Wilbert (mineiro radicado em Londres), Eduardo Imasaka (Argentina), Jarbas Jácome e Ricardo Brazileiro (PE), Paulo Waisberg (BH), André Wakko e Manuel Andrade do Coletivo Azucrina! (BH), Pedro Morais da Galeria Desvio (BH), Alexandre B (BH),Aruan Mattos (BH), Fernando Ancil (BH), Flavia Regaldo (BH), Leandro Aragão (BH), Marcelo Adão (BH) e Saulo Policarpo (BH), além dos próprios integrantes do Coletivo Gambiologia: Fred Paulino, Lucas Mafra e Paulo Henrique `Ganso´ Pessoa.

    Mais informações: www.gambiologos.com

    Detalhes

    Leia mais
  • 10 nov

    Vem Ver Boi, novo espetáculo do Grupo de Teatro Fribra

    No dia 14/11, o Grupo de Teatro Fibra de Montes Claros, apresenta no CentoeQuatro seu novo espetáculo ” Vem Ver Boi” com direção de Lucílio Gomes, dramaturgia de Terezinha Lígia, direção musical Amauri Tibo.

    O texto, elaborado durante os laboratórios realizados para o espetáculo, é um mosaico que retrata através da personagem Sá Dona a individualização do homem contemporâneo com suas mazelas políticas, existenciais e morais, mas também os valores culturais, em especial os festejos de Boi que permeiam todo o Brasil como fonte perene para mudanças de atitude, reacendendo nesse mesmo homem o desejo de se “ajuntar” para dançar, cantar e festejar.

    O espetáculo tem forte apelo visual, quando as fantasias da personagem Sá Dona são materializadas.

    Comentários do diretor Lucílio Gomes
    “Vem ver boi, é um projeto audacioso construído no peito e na raça, o que é próprio desse grupo que desafia todas as leis há 30 anos, pela vontade de fazer teatro. Morando em BH no início e depois em Lagoa Santa o que aumenta a viagem em uma hora, tornamos-nos anti-sociais deixando de repartir com nossas famílias e amigos os finais de semana e feriados para mergulharmos no processo de criação da mais nova obra do Grupo FIBRA, que reúne mais que desejo. É o reencontro de um sonho que comecei sonhando junto com esse grupo na década de 80. Poder voltar a Montes Claros para trabalhar com o FIBRA, é o mesmo que voltar a seu lugar de origem para regar a árvore onde à parteira enterrou o seu umbigo, para que crescesse forte e desse muitos frutos, coisas da nossa herança africana e que é raro hoje em dia. Mas faço esse paralelo da árvore com a pessoa da Professora e diretora Terezinha Lígia que é guerreira incansável e que me iniciou nessa arte que se tornou o meu pulmão. Meu umbigo foi muito bem tratado, pois mirando nesse exemplo nunca desisti e faço da minha vida o teatro e do teatro minha vida.
    Vem Ver Boi é um grito de urgência, urgência de retorno de encontros para podermos trocar pelo menos um pouco o sintético e o cibernético pelos sabores do amor, do compartilhar e pensar juntos.”

    Ficha Técnica
    Concepção e direção: Lucílio Gomes
    Dramaturgia: Terezinha Lígia
    Direção Musical: Amauri Tibo
    Elenco: Terezinha Lígia, Gilberto Cardoso, Amauri Tibo e Lucílio Gomes
    Pesquisa Musical: Lucílio Gomes e Terezinha Lígia
    Projeto Gráfico/Ilustração: Willi de Carvalho
    Design Gráfico: Marcelo Souto
    Concepção Cenográfica: Lucílio Gomes
    Serralheria: Nilson Santos
    Figurino/Bois: Juliana Floriano
    Adereços: Lucilio Gomes e Ricardo simões
    Bonecos/máscaras: Carla Grosse
    Costureiras: Marisa Silva e Carmem Lúcia Alves
    Vídeo: Fernando Rodrigues, Fabiano Lopes e Marcelo Souto
    Participação Especial: Róps Malungo
    Produção: Grupo Teatro Fibra

    Detalhes

    Leia mais
  • 01 nov

    Os clássicos do rock da Rio Rock & Blues Band e o som sinfônico da banda Ora Pro Nobis

    No dia 06 de novembro, o som de Minas e do Rio se encontram no Café CentoeQuatro.

    A banda mineira Ora Pro Nobis apresenta releituras de clássicos da música popular (mineira, em sua essência) e do pop rock, utilizando-se de elementos da música clássica. Também toca canções do seu disco de estreia, Eclipse Total. O quinteto é formado por Igor Ribeiro (violono e vocais), Juliano Torres (guitarra), Emerson Rocha (baixo e vocais), Carlos Discacciati (violão e vocais) e Tom Pablo (bateria e percurssão).

    Para encerrar a noite, os cariocas da Rio Rock & Blues Band apresentam o show que é sucesso nas casas noturnas do bairro da Lapa, no Rio de Janeiro. A banda conta a história do rock através da música, desde as suas origens, no blues, até se transformar no ritmo que influenciou a cultura e transformou a sociedade. Nos vocais e guitarra Marcelo Reis e Roberto Soares, Bom Bom no baixo e o músico Gustavo Schroeter na bateria .

    Acesse  o site da banda Ora Pro Nobis: http://www.orapronobis.com.br

    Detalhes

    Leia mais
  • 01 nov

    Paris Jazz Underground se apresenta pela primeira vez no Brasil

    No dia 08 de novembro o coletivo ministra master class com comentários sobre o processo de composição e improvisação. A apresentação acontece no dia seguinte, no Café CentoeQuatro.

    O coletivo Paris Jazz Underground foi formado este ano, é composto por seis músicos e compositores e todos residem na capital francesa. Juntos partilham de uma estética comum e aproveitam a tecnologia dos dias atuais para criar e distribuir seu trabalho de forma independente, unindo esforços para alcançar um público mais amplo.

    A banda apresenta um jazz moderno e uma nova e pouco conhecida produção jazzística francesa. É composto por Karl Jannuska (bateria), David Prez (saxofone), Sandro Zerafa (violonista), Robin Nicaise (saxofone), Romain Pilon (guitarra), Amy Gamlen (saxofone).

    Confira as músicas do PJU:  http://www.myspace.com/parisjazzunderground

    Conheça o trabalho dos músicos:

    DAVID PREZ
    www.davidprez.com

    KARL JANNUSKA
    www.myspace.com/karljannuska

    SANDRO ZERAFA
    www.sandrozerafa.net

    ROBIN NICAISE
    www.robinnicaise.com

    ROMAIN PILON
    www.romainpilon.com

    AMY GAMLEN
    http://amygamlen.free.fr

    Detalhes

    Leia mais