Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Categorias

  • Nenhuma categoria

Blog

  • 29 jun

    Horizontes urbanos invade as ruas da cidade

    De 01 a 09 de julho de 2011, a dança invade ruas e esquinas de Belo Horizonte. É a terceira edição do HORIZONTES URBANOS – Mostra Internacional de Dança em Espaço Urbano, evento que apresenta espetáculos de dança especialmente concebidos para o ambiente urbano, estabelecendo a integração da dança com a arquitetura.

    A primeira fase do projeto conta com a parceria do Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança, com mostra de videodança, oficina, debate e apresentação. E de 5 a 10 de julho, o centro de Belo Horizonte será local das interferências. Serão mais de dez apresentações de diferentes artistas, nacionais e internacionais, em locais públicos.

    Uma forma de estimular um novo olhar sobre a arquitetura (imortal) do centro de Belo Horizonte tendo a dança (efêmera) como vetor atuante.

    entomoHann

    Compõem a programação artistas e grupos de dança de Belo Horizonte, São Paulo, Uberlândia, Espanha e Suiça.

    Clique aqui e confira a programação completa do evento, e abaixo veja o que acontece no CentoeQuatro

    MIV – MOSTRA INTERNACIONAL DE VIDEODANÇA
    De 01 a 04 de julho de 2011
    Horário: 14h30 às 17h30

    A MIV – Mostra Internacional de Videodança reúne programas inéditos de videodança de diversos países.
    Classificação etária: 12 anos

    MESA REDONDA
    Sábado, 02 de julho de 2011
    Horário: 18h

    Dança, Corpo e Imagem – Com Rodrigo Quik e Gabi Guerra, mediação Paulo Caldas, diretor artístico do evento. Os convidados exibirão obras e discutirão os diferentes olhares sobre a videodança, corpo e imagem.

    PERFORMANCE
    Sábado, 02 de julho
    Horário: 20h

    NÓS com Celina Portella
    “Nós” é uma ação entre o corpo e seus múltiplos projetados em escala real. O movimento dos corpos projetados em interação com o corpo da intérprete e entre eles mesmos sugere uma série de composições simples, criando diferentes dinâmicas entre “cinco personagens” e colocando lado a lado diferentes abordagens sobre representação.

    OFICINA
    De 01 a 04 de julho de 2011
    Horário: 9h às 13h

    VÍDEOPROJEÇÕES com Celina Portella
    Propõe experiências com vídeoprojeções do corpo, questionando formatos e meios de filmagem em função dos suportes de projeção. A oficina é direcionada a bailarinos, performers, coreógrafos, fotógrafos, videomakers e artistas interessados no corpo e no movimento e com uma experiência prática básica em suas respectivas áreas. Equipamento recomendado: câmera de vídeo ou fotográfica que grave vídeos.

    Inscrições: horizontesurbanos@uol.com.br | (31) 3222-1438 | Vagas Limitadas

    Detalhes

    Leia mais
  • 29 jun

    Sol Alac grava seu primeiro DVD, La luz de mis ojos

    A cantora argentina Sol Alac apresenta, nos dias 29 e 30 de junho, o show que dará origem ao primeiro DVD de sua carreira, La Luz de Mis Ojos. A gravação será ao vivo, às 21h, no CentroeQuatro.

    Com um repertório que remete às suas memórias de infância e juventude nos arredores de Buenos Aires, Sol empresta sua voz a uma seleção de tangos, boleros e bossas que surpreenderão o público num espetáculo intimista, cheio de beleza e sofisticação.

    Nascida em Bahia Blanca, na província de Buenos Aires, Sol já trabalhou como atriz e participou de diversas produções para o cinema e televisão. Durante uma temporada de seis anos na Europa, aprimorou sua voz e intensificou seu trabalho, adquirindo novas técnicas e incorporando outras influências.

    Nostalgias, Vete de Mi, Volver e Grisel são apenas algumas das músicas que se destacam entre as pérolas do cancioneiro latino-americano que Sol interpreta nesse show, produzido pela própria artista.

    Sol subirá ao palco acompanhada pelos músicos Augusto Argañaraz (percussão), Roberto Amerise (contrabaixo), Marcelo Saraceni (violão) e Norberto Vogel (piano e bandoneon). Junto com Marcelo, Norberto assina os arranjos e também divide a direção musical com a artista argentina.

    Sobre estas apresentações e o novo passo em sua carreira, Sol não esconde sua empolgação e a expectativa em cair no gosto do público: “Cantar es una consecuencia natural y lo vivo como tal. Estoy disfrutando cada paso y lo que mas feliz me hace es que sea en este momento de mi vida, en el que mi hija Elisabetta de dos anos puede compartir conmigo esta aventura. Estoy vibrando con este show desde el día en que decidí hacerlo y tengo mucha ilusión de que la gente lo disfrute y se emocione junto a mí”.

    Com o show “Luz de Mis Ojos” Sol faz sua estréia oficial nos palcos brasileiros numa apresentação sutil, completa de paixão, música, poesia e latinidade que certamente emocionará o público de todo o Brasil.

    Detalhes

    Leia mais
  • 16 jun

    Grupo de experientes músicos mineiros mostram o que fazem quando estão distraídos

    Na próxima quarta-feira, 22 de junho às 22h, acontece no CentoeQuatro, apresentação da banda instrumental Os Distraídos. O grupo é um projeto paralelo de grandes músicos mineiros como Lelo Zaneti do Skank, Glauco do Tianastácia e Chico Amaral e apresenta repertório com muito de groove, reggae, funk, mambo, salsa e outros ritmos.

    Com um som dançante e descontraído, a banda instrumental Os Distraídos, foi criada pelo saxofonista Chico Amaral em 2010. O projeto surgiu da amizade de músicos integrantes de conhecidas bandas mineiras como Skank, Tianastácia e Uakti. Dessa mistura de diferentes raízes musicais os integrantes produzem um som carregado de groove, reggae, funk, mambo, salsa e outros ritmos.

    O grupo é formado por Lelo Zaneti (baixo), Paulo Márcio (trompete), Paulo Sérgio Santos (percussão), Chico Amaral (sax tenor), Ender (sax alto), Glauco Nastácia (bateria) e Doca Rolim (guitarra).

    Distraído, além de ser uma característica comum a todos integrantes, também reflete o espírito do grupo quando eles se reúnem para tocar, um momento de distração e de leveza.

    Com a proposta de diversão para público e para os músicos, o show  é  garantia de música de excelente qualidade bem ao estilo “Big Band Tequila” com versões dos Beatles, Bob Marley, Tim Maia e outros.

    Detalhes

    Leia mais
  • 16 jun

    Chico Amaral Quarteto com participação do grande baterista Márcio Bahia

    Discípulo e parceiro de Hermeto Pascoal há quase 30 anos, Marcio Bahia é o convidado especial para o show de Chico Amaral Quarteto, que acontece na sexta-feira, 17 de junho, às 21h, no Café 104. Bahia é considerado por público e crítica um dos melhores bateristas do mundo.

    Percussionista, Márcio Bahia nasceu em Niterói em 1958. Aos 13 anos começou a tocar bateria. Três anos depois estudava o instrumento com Sérgio Murilo. Em 1975, formou o grupo Íris e também o grupo O Circo, com quem excursionou e participou de sua primeira gravação em disco.

    Em 1981, entrou para o grupo de Hermeto Pascoal, com quem tem se apresentado em diversas cidades no exterior, colhendo prêmios e elogios da crítica. Em 1994, participou da UK Big Band, formada por Hermeto Pascoal e grupo, além de grandes nomes do jazz britânico. O show da UK Big Band foi saudado pela crítica do jornal britânico The Guardian como “um dos mais eletrizantes concertos de jazz em anos”. Tocou nos maiores festivais de jazz na Europa e EUA, Japão e América do Sul.

    Paralelamente ao seu trabalho com Hermeto, vem desenvolvendo projetos na área do ensino, ministrando worshops, master classes, cursos e aulas.

    Toca (ou já tocou) com grandes nomes do cenário musical como: Hamilton de Holanda, Marco Pereira, Vittor Santos, Leny Andrade, Jhonny Alf, Marcos Valle, João Donato, Carlos Lira, Roberto Menescal e Wanda Sá, Joyce, Gilson Peranzetta, João Bosco, Maria Bethania, Leila Pinheiro, Eliane Elias, David Friedman, Thijs Van Leer,(Focus), Baden Powell,Toquinho, Ednardo, Fagner, entre outros.

    Confira o vídeo de uma apresentação do músico:

    Detalhes

    Leia mais
  • 15 jun

    Frederico Heliodoro faz show de pré-lançamento de seu primeiro CD

    Acontece neste sábado, 18 de junho às 21h no Café 104, o show de pré-lançamento do primeiro álbum de Frederico Heliodoro (contrabaixo). O músico faz a apresentação com Rafael Martini (piano), Pablo Passini (guitarra) e Felipe Continentino (bateria).

    Frederico Heliodoro faz show de pré-lançamento de seu primeiro álbum, gravado ao vivo em maio deste ano no Café com Letras junto com o trio formado por Rafael Martini (piano), Pablo Passini (guitarra) e Felipe Continentino (bateria). Intitulado Frederico Heliodoro no Café com Letras o CD é composto por seis músicas instrumentais: Social free; Crazy song; Enquanto não chega; Isadora; Janela e Late name. Todas as composições são de autoria do músico.

    O baixista considera que o resultado do disco é reflexo de uma temporada em que passou em Nova Yorque, período de muita aprendizagem e contato com outros músicos, e que lhe rendeu inspiração para realizar este trabalho.

    Foto: André Tanure

    Atuando na cena da música instrumental de Belo Horizonte desde 2007, Frederico já ganhou diversos prêmios como instrumentista e compositor. Já dividiu o palco com Benjamim Taubkin, Rafael Vernet, Nelson Faria, Sérgio Galvão, Cliff Korman, Lupa Santiago, Márcio Bahia, Nivaldo Ornellas, Chico Amaral e Cléber Alves.

    Atualmente, o músico cursa Música Popular na UFMG e estudou com músicos de NY como Ari Hoenig, Gilad Hekselman e Mike Moreno.

    Enquanto o público aguarda o lançamento do CD, previsto para o final do próximo mês, pode conferir o show deste sábado no charmoso café do CentoeQuatro.

    Detalhes

    Leia mais
  • 06 jun

    Festival Mundial de Circo abre inscrições para artistas e grupos

    Até o dia 06 de julho de 2011, estão abertas as inscrições para artistas e grupos interessados em participar do Festival Mundial de Circo com apresentações de números circenses.

    O Festival Mundial de Circo iniciou a sua trajetória em 2001 reunindo em Belo Horizonte artistas brasileiros e de vários cantos do mundo para celebrar o circo. Foi o primeiro festival internacional no Brasil dedicado exclusivamente a essa arte. A 11ª edição do festival acontece em Belo Horizonte de 26 de agosto à 04 de setembro de 2011.

    Informações e incrições no site: www.festivalmundialdecirco.com.br

    Detalhes

    Leia mais
  • 04 jun

    Livro conta a história de vida de Celton, vendedor de revistas em quadrinhos pelas ruas de BH

    No dia 15 de junho, às 19h, Fidélis Alcântara lança seu primeiro livro no Café 104. “O Fazedor de Histórias” conta a história de vida de Lacarmélio Alfêo de Araújo, o Celton, vendedor de revistas em quadrinhos pelas ruas de BH. O convidados também podem participar de um bate papo com o autor e Celton.

    A história parece comum: uma família que se muda do interior para a capital em busca de novas oportunidades. Mas há nessa família um sujeito que faz a história mudar por completo. Esta poderia ser a sinopse do livro, O Fazedor de Histórias, mas o livro diz muito mais desse sujeito, que hoje é o maior editor, produtor e vendedor independente de quadrinhos no Brasil.

    Durante o segundo semestre de 2009 e todo ano de 2010, o redator publicitário e escritor Fidélis Alcântara fez uma série de entrevistas com o personagem e reconstruiu a narrativa da vida do super-herói de BH. O livro conta de forma leve e emocionante as aventuras e desventuras de Lacarmélio em busca do seu sonho: escrever as próprias revistas em quadrinhos.

    Celton em acão

    Belo Horizonte é o cenário principal, mas a história tem lances no Rio de Janeiro, São Paulo, Nova Iorque e Itabirinha de Mantena, onde o personagem nasceu. Começando na década de setenta, com a vinda da família para a capital, o livro mostra os caminhos e dificuldades encontrados por um produtor independente para conseguir produzir e vender o seu trabalho.

    O homem, o herói e o mito são apresentados como forma de encorajar mais pessoas a encarar os sonhos e batalhar com afinco. Celton é um exemplo de dedicação, luta e dignidade, um sujeito que venceu sozinho e que pode inspirar muitos outros a fazerem de suas vidas o caminho para a realização com prazer e muito bom humor. Algumas de suas falas e lances da narrativa são destacados e interpretados para os leitores em pequenas dicas que estimulam a confiança e a determinação em alcançar os sonhos.

    Sobre o personagem:

    Lacarmélio Alfêo de Araújo nasceu em Itabirinha, Vale do Rio São Mateus e se transferiu em 1972 com toda a família para Belo Horizonte. No início da década de 80 lançou de maneira independente as suas primeiras revistas em quadrinhos, Celton. Logo vieram outros personagens e títulos, sempre com o bom humor das ruas e questões da cidade ou do país. Nessa época foram lançados: O Combate do Presidente com o Capeta do Vilarinho, O Presidente contra o Dragão da Inflação e várias outras. Desde então ele se dedica a todo o processo de criação, elaboração, diagramação, publicação e venda de suas revistas. No início da década de noventa, lançou a revista Belô, com a cidade de Belo Horizonte como cenário, em pouco tempo a revista voltou a chamar Celton, mas com um reconhecimento e aceitação do público surpreendente. Reconhecido como o maior vendedor independente de quadrinhos no Brasil, é uma lenda urbana da capital mineira, onde ganhou notoriedade.

    Sobre o autor:

    Fidélis Alcântara é graduado em Publicidade e Propaganda pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2001, trabalhou em diversas agências de publicidade exercendo a função de redator. Desde a adolescência escreve contos, crônicas e poesias, e foi em 2008 que decidiu abandonar as agências de publicidade para se dedicar a outros escritos. Hoje trabalha como autônomo, escreve textos institucionais e ficcionais para empresas, sites e blogs, e se dedica a escritos autorais. Seus contos sobre o cotidiano podem ser lidos no www.acasoacontece.wordpress.com.

    Detalhes

    Leia mais
  • 03 jun

    O pianista, compositor e regente José Namen lidera quarteto em apresentação no Café 104

    José Namen apresenta repertório com standards do jazz, músicas autorais e releituras de canções de diferentes gêneros, como bossa-nova, pop, MPB e rock com linguagem jazzistica. O músico faz apresentação acompanhado de Breno Mendonça (sax), Yan Vasconcellos (baixo acústico) e Guilherme Stephan (bateria). O show acontece no dia 16 de junho, às 21h, no Café 104.

    Localizado no hipercentro da cidade, cenário de reocupação cultural e de retomada da vida noturna, o Café 104, mantém em sua programação importantes nomes da cena jazzistica. Já passaram pelo palco do café nomes como Juarez Moreira, o sexteto Paris Jazz Underground, o trio mexicano Los Mind Lagunas, The Florida Keys, Chico Amaral, Swiss College Dixie, Jorge Continentino, Benny Goodman Centennial Band, Mike Hashime Judy Carmichael, The New Loymakers e Harry Allen. Na próxima semana, o Café 104 apresenta ao público o talento de José Nanem.

    Pianista, regente, arranjador, compositor e diretor musical, José Namen é formado em Regência pela Escola de Música da UFMG. Foi aluno de César Guerra Peixe, David Machado, Artur Bosmanns e Afânio Lacerda, entre outros. Com Jacques Klein fez o curso de extensão “Interpretação Pianística”.

    Namen foi integrante e um dos fundadores do VERA CRUZ, grupo instrumental de grande repercussão em Belo Horizonte nos anos 80, formado por José Namen (teclados), Juarez Moreira (guitarra), Yuri Popoff (baixo), Mauro Rodrigues (flauta) e Nenem (bateria).

    José Namen - Foto: Nelson Faria

    Como tecladista integrou as bandas dos artistas Toninho Horta, Nivaldo Ornellas, Beto Guedes e Tavinho Moura, além de já ter se apresentado ao lado de grandes instrumentistas como Raul de Souza, Nico Assumpção, Teco Cardoso, Nelson Faria, Armando Marçal, Kiko Freitas, Idriss Boudrioua, Arismar do Espírito Santo, Marcos Suzano, Jorge Elder, Alberto Continentino, Lea Freire, entre outros.

    Como diretor musical participou do CD “CAFUSO “, de Rosani Reis, gravado na Alemanha, pelo selo TIME LINE. Além da direção, fez os arranjos e atuou como tecladista naquela produção.

    Assinou, dirigiu, fez arranjos e participou como tecladista do disco “RONDON E FIGAR”, lançado pelo selo Eldorado e indicado na CATEGORIA REGIONAL, ao VI Prêmio Sharp de Música.

    Tem três CD’s gravados:

    - “A TEMPO” (1993) com composições próprias

    - “D’AQUI” (1996) com participação de Nivaldo Ornellas, Nelson Faria, Juarez Moreira e Idriss Boudrioua

    - “BEATLES – UM TRIBUTO BRASILEIRO” (1999), onde ao lado de Nelson Faria, Marcos Suzano e Bororó, faz uma interessante releitura de canções do quarteto de Liverpool, temperada com harmonias jazzísticas e ritmos brasileiros.

    Foi premiado com o “Troféu Pró-Música – Os melhores da Música Mineira”, de melhor arranjador do ano de 1998.

    O público pode conferir a qualidade musical de José Nanem num espaço cuja própria arquitetura favorece a acústica e ainda desfrutar do charme de frequentar o centro da cidade. Como acompanhamento, o Café 104 oferece um cardápio eclético e despretensioso e uma carta de vinhos selecionada.

    Detalhes

    Leia mais