Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Filtrar por data

Como Chegar

Praça Ruy Barbosa, 104 | Centro
Belo Horizonte | MG | 30.160-000
Telefone: (31) 3222-6457
contato@centoequatro.org

Funcionamento:
Café 104, Cine 104 e espaços multiuso: consulte a programação

Acesso para deficientes

Programação

  • 25 ago 2016

    [Cine 104 Mostra: o cinema de BH] Americanos na Terra da Copa

    Americanos na Terra da Copa

    [Cine 104 Mostra: o cinema de BH] A sessão de lançamento do filme, na quinta-feira, dia 25 de abril, será seguida de debate com o diretor Ayron Borsari e equipe.

    Direção – Ayron Borsari
    Brasil/ MG, 2016, 71 min

    →25 de Agosto (quinta-feira)
    Horário: 20h30
    Entrada R$ 12 / R$ 6 (meia entrada)

    Classificação indicativa – livre

    Sinopse – Americanos na Terra da Copa conta a história de 2 norte-americanos que estão no Brasil para fazer um documentário sobre as cidades que vão sediar os jogos da Copa do Mundo de 2014, o ano é 2013 e a primeira cidade em que eles desembarcam é Belo Horizonte, onde será gravado o episódio piloto.

    Entre idas e vindas nas locações, Joe Miles e Brian Kunt vão se descobrindo aos poucos ao passo que desvendam a cidade.

    Sobre o diretor Ayron Borsari

    Formado em Cinema e Audiovisual pelo Centro Universitário UNA, iniciou seus estudos cinematográficos em meados de 2003, na primeira turma da Escola livre de Cinema e, desde então vem fazendo trabalhos audiovisuais em várias áreas.

    Americano na Terra da Copa é seu primeiro longa-metragem, um filme independente que vem de uma vontade antiga, de se fazer uma obra autoral com amigos e conhecidos.

    Detalhes

    Saiba mais
  • 25 ago 31 ago 2016

    [última semana] Rebecca

    Rebecca
    * relançamento em “DCP 2K” da cópia restaurada do clássico de Hitchcock, vencedor do Oscar em 1941.

    Direção – Alfred Hitchcock
    EUA, 1940, 130 min

    Com Laurence Olivier e Joan Fontaine

    →25 a 31 de Agosto, exceto dia 29 (segunda-feira)
    Horário: 16h15
    Entrada R$ 12 / R$ 6 (meia entrada)

    Classificação indicativa – 12 anos

    Sinopse – Uma jovem e inocente dama de companhia se casa com um rico viúvo. Juntos, residem na mansão Manderley. Ele ainda vive atormentado pela morte da primeira mulher em um acidente. A nova esposa é aterrorizada pelas memórias em torno de Rebecca e se deixa dominar pela governanta da casa.

    Sobre o filme

    Trechos do livro Hitchcock-Truffaut:

    Não é um filme de Hitchcock. É uma espécie de conto, e a própria história data do século XIX. Era uma história bem velhinha, bem fora de moda. Naquela época havia muitas escritoras: não tenho nada contra, mas Rebecca é uma história sem humor. (Alfred Hitchcock)

    No início, Rebecca era uma história distante do seu universo, não era um thriller, não havia suspense, era um drama psicológico. Você é que foi obrigado a introduzir o suspense num mero conflito de personagens, e acho que isso lhe permitiu enriquecer seus filmes seguintes, alimentá-los com todo um material psicológico que, em Rebecca, tinha sido imposto pelo romance. (François Truffaut)

    De certo modo o filme é a história de uma casa; também se pode dizer que a casa é um dos três personagens principais do filme. (Alfred Hitchcock)

    Informações adicionais:

    Venceu o Oscar de 1941 nas categorias Melhor filme e Melhor fotografia. Indicado nas categorias Melhor diretor, Melhor ator (Laurence Olivier), Melhor atriz (Joan Fontaine), Melhor atriz coadjuvante (Judith Anderson), Melhor roteiro, Melhor direção de arte em preto e branco, Melhores efeitos especiais, Melhor edição e Melhor trilha sonora.

    Mais de vinte atrizes fizeram testes para interpretar a esposa do Sr. de Winter (Laurence Olivier), entre elas as atrizes Vivien Leigh e Anne Baxter. Como Vivien Leigh era namorada de Laurence Olivier, ele fez pressão para que ela conseguisse o papel da segunda esposa do Sr. de Winter; mas a jovem atriz Joan Fontaine, então com 22 anos, acabou ficando com o papel, e Olivier passou a tratá-la com frieza nos estúdios, fazendo com que ela se sentisse tímida e deslocada. Como era esse exatamente o sentimento que o diretor desejava que ela passasse para a personagem, Hitchcock ordenou que todos no set a tratassem da mesma forma, para assim obter de Joan uma atuação mais vulnerável ao que pedia o perfil da personagem.

    Detalhes

    Saiba mais
  • 25 ago 31 ago 2016

    [última semana] Janis: Little Girl Blue

    Janis: Little Girl Blue

    *Direção – Amy J. Berg
    EUA, 2015, 107 min
    Classificação indicativa: 14 anos

    →25 a 31 de Agosto de 2016, exceto dia 29 (segunda-feira)
    Horário: 18h30
    Entrada R$ 12 / R$ 6 (meia entrada)

    Sinopse – Ela criou um lugar para as mulheres no mundo do rock. Ela foi a pioneira. Seu nome: Janis Joplin. A garota branca com uma voz feroz, com soul, que invadiu a cena musical dominado pelos homens. Nascida em uma pequena cidade do Texas, Janis, que morreu em 1970, aos 27 anos, ganha agora um documentário que revela a história de um ícone, uma mulher em uma América ultra-conservadora, lutando contra seus demônios interiores e vícios, e que em apenas poucos anos de carreira marcou para sempre a história do rock and roll.

    Sobre o filme

    Dirigido pela americana Amy J. Berg, indicada ao Oscar de Melhor Documentário em 2007 por Deliver Us from Evil, o filme demorou sete anos para ser concluído e foi produzido por Alex Gibney (vencedor do Oscar por Taxi to the Dark Side) e tem narração de Chan Marshall (mais conhecida como Cat Power).

    Janis: Little Girl Blue traz imagens de arquivo inéditas, correspondências pessoais de Janis para a família e amigos, entrevistas com a cantora e com seus contemporâneos (ex-companheiros da Big Brother and the Holding Company, músicos, namorados, amigos e familiares), além da sua passagem pelo Brasil. O filme traz também suas extraordinárias performances ao vivo de clássicos como “Piece of My Heart”, “Cry Baby”, e “Me and Bobby McGee”. O último álbum de Joplin, “Pearl”, lançado postumamente em 1971, completa 45 anos este ano.

    Sobre a diretora

    Amy J. Berg nasceu em Los Angeles, Estados Unidos, em 1970. Diretora, produtora e roteirista, Berg dirigiu diversos documentários, entre eles, Deliver Us from Evil (2006), que foi indicado ao Oscar em 2007; e o filme de ficção Every Secret Thing (2014). Janis: Little Girl Blue é seu quinto filme documental.

    Filmografia

    Prophet’s Prey (2014)
    An Open Secret (2014)
    Every Secret Thing (2012)
    West of Memphis (2007)
    Polarized (Curta, 2006)
    Deliver Us from Evil (2006)

    Festivais

    Venice Film Festival 2015
    Toronto International Film Festival 2015
    BFI London Film Festival 2015
    Deauville American Film Festival 2015
    Loft Film Festival 2015
    Houston Cinema Arts Festival 2015
    The International Documentary Film Festival Amsterdam 2015
    Key West Film Festival 2015
    Festival do Rio 2015

    Detalhes

    Saiba mais
  • 25 ago 31 ago 2016

    [estreia em curta temporada] Americanos na Terra da Copa

    Americanos na Terra da Copa

    [Cine 104 Mostra: o cinema de BH] A sessão de lançamento do filme, na quinta-feira, dia 25 de abril, será seguida de debate com o diretor Ayron Borsari e equipe.

    Direção – Ayron Borsari
    Brasil/ MG, 2016, 71 min

    →25 a 31 de Agosto, exceto dia 29 (segunda-feira)
    Horário: 20h30
    Entrada R$ 12 / R$ 6 (meia entrada)

    Classificação indicativa – livre

    Sinopse – Americanos na Terra da Copa conta a história de 2 norte-americanos que estão no Brasil para fazer um documentário sobre as cidades que vão sediar os jogos da Copa do Mundo de 2014, o ano é 2013 e a primeira cidade em que eles desembarcam é Belo Horizonte, onde será gravado o episódio piloto.

    Entre idas e vindas nas locações, Joe Miles e Brian Kunt vão se descobrindo aos poucos ao passo que desvendam a cidade.

    Sobre o diretor Ayron Borsari

    Formado em Cinema e Audiovisual pelo Centro Universitário UNA, iniciou seus estudos cinematográficos em meados de 2003, na primeira turma da Escola livre de Cinema e, desde então vem fazendo trabalhos audiovisuais em várias áreas.

    Americano na Terra da Copa é seu primeiro longa-metragem, um filme independente que vem de uma vontade antiga, de se fazer uma obra autoral com amigos e conhecidos.

    Detalhes

    Saiba mais

  • 25 ago 2016

    [Cine 104 Mostra: o cinema de BH] Americanos na Terra da Copa

    Americanos na Terra da Copa

    [Cine 104 Mostra: o cinema de BH] A sessão de lançamento do filme, na quinta-feira, dia 25 de abril, será seguida de debate com o diretor Ayron Borsari e equipe.

    Direção – Ayron Borsari
    Brasil/ MG, 2016, 71 min

    →25 de Agosto (quinta-feira)
    Horário: 20h30
    Entrada R$ 12 / R$ 6 (meia entrada)

    Classificação indicativa – livre

    Sinopse – Americanos na Terra da Copa conta a história de 2 norte-americanos que estão no Brasil para fazer um documentário sobre as cidades que vão sediar os jogos da Copa do Mundo de 2014, o ano é 2013 e a primeira cidade em que eles desembarcam é Belo Horizonte, onde será gravado o episódio piloto.

    Entre idas e vindas nas locações, Joe Miles e Brian Kunt vão se descobrindo aos poucos ao passo que desvendam a cidade.

    Sobre o diretor Ayron Borsari

    Formado em Cinema e Audiovisual pelo Centro Universitário UNA, iniciou seus estudos cinematográficos em meados de 2003, na primeira turma da Escola livre de Cinema e, desde então vem fazendo trabalhos audiovisuais em várias áreas.

    Americano na Terra da Copa é seu primeiro longa-metragem, um filme independente que vem de uma vontade antiga, de se fazer uma obra autoral com amigos e conhecidos.

    Detalhes

    Saiba mais
  • 25 ago 31 ago 2016

    [última semana] Rebecca

    Rebecca
    * relançamento em “DCP 2K” da cópia restaurada do clássico de Hitchcock, vencedor do Oscar em 1941.

    Direção – Alfred Hitchcock
    EUA, 1940, 130 min

    Com Laurence Olivier e Joan Fontaine

    →25 a 31 de Agosto, exceto dia 29 (segunda-feira)
    Horário: 16h15
    Entrada R$ 12 / R$ 6 (meia entrada)

    Classificação indicativa – 12 anos

    Sinopse – Uma jovem e inocente dama de companhia se casa com um rico viúvo. Juntos, residem na mansão Manderley. Ele ainda vive atormentado pela morte da primeira mulher em um acidente. A nova esposa é aterrorizada pelas memórias em torno de Rebecca e se deixa dominar pela governanta da casa.

    Sobre o filme

    Trechos do livro Hitchcock-Truffaut:

    Não é um filme de Hitchcock. É uma espécie de conto, e a própria história data do século XIX. Era uma história bem velhinha, bem fora de moda. Naquela época havia muitas escritoras: não tenho nada contra, mas Rebecca é uma história sem humor. (Alfred Hitchcock)

    No início, Rebecca era uma história distante do seu universo, não era um thriller, não havia suspense, era um drama psicológico. Você é que foi obrigado a introduzir o suspense num mero conflito de personagens, e acho que isso lhe permitiu enriquecer seus filmes seguintes, alimentá-los com todo um material psicológico que, em Rebecca, tinha sido imposto pelo romance. (François Truffaut)

    De certo modo o filme é a história de uma casa; também se pode dizer que a casa é um dos três personagens principais do filme. (Alfred Hitchcock)

    Informações adicionais:

    Venceu o Oscar de 1941 nas categorias Melhor filme e Melhor fotografia. Indicado nas categorias Melhor diretor, Melhor ator (Laurence Olivier), Melhor atriz (Joan Fontaine), Melhor atriz coadjuvante (Judith Anderson), Melhor roteiro, Melhor direção de arte em preto e branco, Melhores efeitos especiais, Melhor edição e Melhor trilha sonora.

    Mais de vinte atrizes fizeram testes para interpretar a esposa do Sr. de Winter (Laurence Olivier), entre elas as atrizes Vivien Leigh e Anne Baxter. Como Vivien Leigh era namorada de Laurence Olivier, ele fez pressão para que ela conseguisse o papel da segunda esposa do Sr. de Winter; mas a jovem atriz Joan Fontaine, então com 22 anos, acabou ficando com o papel, e Olivier passou a tratá-la com frieza nos estúdios, fazendo com que ela se sentisse tímida e deslocada. Como era esse exatamente o sentimento que o diretor desejava que ela passasse para a personagem, Hitchcock ordenou que todos no set a tratassem da mesma forma, para assim obter de Joan uma atuação mais vulnerável ao que pedia o perfil da personagem.

    Detalhes

    Saiba mais
  • 25 ago 31 ago 2016

    [última semana] Janis: Little Girl Blue

    Janis: Little Girl Blue

    *Direção – Amy J. Berg
    EUA, 2015, 107 min
    Classificação indicativa: 14 anos

    →25 a 31 de Agosto de 2016, exceto dia 29 (segunda-feira)
    Horário: 18h30
    Entrada R$ 12 / R$ 6 (meia entrada)

    Sinopse – Ela criou um lugar para as mulheres no mundo do rock. Ela foi a pioneira. Seu nome: Janis Joplin. A garota branca com uma voz feroz, com soul, que invadiu a cena musical dominado pelos homens. Nascida em uma pequena cidade do Texas, Janis, que morreu em 1970, aos 27 anos, ganha agora um documentário que revela a história de um ícone, uma mulher em uma América ultra-conservadora, lutando contra seus demônios interiores e vícios, e que em apenas poucos anos de carreira marcou para sempre a história do rock and roll.

    Sobre o filme

    Dirigido pela americana Amy J. Berg, indicada ao Oscar de Melhor Documentário em 2007 por Deliver Us from Evil, o filme demorou sete anos para ser concluído e foi produzido por Alex Gibney (vencedor do Oscar por Taxi to the Dark Side) e tem narração de Chan Marshall (mais conhecida como Cat Power).

    Janis: Little Girl Blue traz imagens de arquivo inéditas, correspondências pessoais de Janis para a família e amigos, entrevistas com a cantora e com seus contemporâneos (ex-companheiros da Big Brother and the Holding Company, músicos, namorados, amigos e familiares), além da sua passagem pelo Brasil. O filme traz também suas extraordinárias performances ao vivo de clássicos como “Piece of My Heart”, “Cry Baby”, e “Me and Bobby McGee”. O último álbum de Joplin, “Pearl”, lançado postumamente em 1971, completa 45 anos este ano.

    Sobre a diretora

    Amy J. Berg nasceu em Los Angeles, Estados Unidos, em 1970. Diretora, produtora e roteirista, Berg dirigiu diversos documentários, entre eles, Deliver Us from Evil (2006), que foi indicado ao Oscar em 2007; e o filme de ficção Every Secret Thing (2014). Janis: Little Girl Blue é seu quinto filme documental.

    Filmografia

    Prophet’s Prey (2014)
    An Open Secret (2014)
    Every Secret Thing (2012)
    West of Memphis (2007)
    Polarized (Curta, 2006)
    Deliver Us from Evil (2006)

    Festivais

    Venice Film Festival 2015
    Toronto International Film Festival 2015
    BFI London Film Festival 2015
    Deauville American Film Festival 2015
    Loft Film Festival 2015
    Houston Cinema Arts Festival 2015
    The International Documentary Film Festival Amsterdam 2015
    Key West Film Festival 2015
    Festival do Rio 2015

    Detalhes

    Saiba mais
  • 25 ago 31 ago 2016

    [estreia em curta temporada] Americanos na Terra da Copa

    Americanos na Terra da Copa

    [Cine 104 Mostra: o cinema de BH] A sessão de lançamento do filme, na quinta-feira, dia 25 de abril, será seguida de debate com o diretor Ayron Borsari e equipe.

    Direção – Ayron Borsari
    Brasil/ MG, 2016, 71 min

    →25 a 31 de Agosto, exceto dia 29 (segunda-feira)
    Horário: 20h30
    Entrada R$ 12 / R$ 6 (meia entrada)

    Classificação indicativa – livre

    Sinopse – Americanos na Terra da Copa conta a história de 2 norte-americanos que estão no Brasil para fazer um documentário sobre as cidades que vão sediar os jogos da Copa do Mundo de 2014, o ano é 2013 e a primeira cidade em que eles desembarcam é Belo Horizonte, onde será gravado o episódio piloto.

    Entre idas e vindas nas locações, Joe Miles e Brian Kunt vão se descobrindo aos poucos ao passo que desvendam a cidade.

    Sobre o diretor Ayron Borsari

    Formado em Cinema e Audiovisual pelo Centro Universitário UNA, iniciou seus estudos cinematográficos em meados de 2003, na primeira turma da Escola livre de Cinema e, desde então vem fazendo trabalhos audiovisuais em várias áreas.

    Americano na Terra da Copa é seu primeiro longa-metragem, um filme independente que vem de uma vontade antiga, de se fazer uma obra autoral com amigos e conhecidos.

    Detalhes

    Saiba mais