Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Filtrar por data

Como Chegar

Praça Ruy Barbosa, 104 | Centro
Belo Horizonte | MG | 30.160-000
Telefone: (31) 3222-6457
contato@centoequatro.org

Funcionamento:
Café 104, Cine 104 e espaços multiuso: consulte a programação

Estacionamento conveniado: Park Box | Av. Santos Dumont, 218 | Centro | R$ 5,00 (preço único) | Em função das obras do BRT, fique atento à sinalização para saber como fica o acesso

Acesso para deficientes

Programação

  • 30 jul 05 ago 2015

    [em cartaz] O Dia do Galo

    [2ª semana] O Dia do Galo

    Prêmio do Júri Popular na 18a Mostra de Cinema de Tiradentes
    Vencedor da Mostra Competitiva CineFoot BH 2014

    Direção: Cris Azzi e Luiz Felipe Fernandes |Brasil/ MG, 2014, 60 min | Classificação indicativa: livre

    Sinopse: O documentário mostra a emoção dos torcedores do clube Atlético Mineiro ao vencerem, em 2013, a Copa Libertadores da América. Através do olhar de dez atleticanos, o filme mostra uma história de fé, paixão, amor e futebol.

    De 30 de julho a 05 de agosto de 2015
    (exceto 2ª, dia 03 de agosto)

    Horários: 16h50 e  19h30 
    Entrada R$ 10 / R$ 5 (meia entrada)

    Sobre o filme
    Amantes do cinema e do futebol têm compromisso certo no próximo dia 23 de julho: a estreia nos cinemas do documentário O Dia do Galo, que narra a emocionante conquista da Copa Libertadores da América de 2013 pelo Clube Atlético Mineiro. O filme acompanha a rotina de dez atleticanos na data da grande final do torneio, no dia 24 de julho daquele ano. Para transformar o projeto em realidade o diretor Cris Azzi convidou O Coletivo NITRO + Alicate e, assim, formou-se uma equipe que reúne quase 50 atleticanos, entre personagens e produtores. O resultado é um filme apaixonado e muito comovente, à altura da conquista alvinegra.

    “A ideia de misturar o futebol e o cinema, duas das minhas maiores paixões, é antiga. Desde 2004 flerto com a possibilidade de fazer um filme sobre o Galo. Acredito que as coisas tem um tempo certo pra acontecer e esse tempo chegou. Poder fazer parte de um registro histórico que certamente será eternizado na memória do público(especialmente dos atleticanos) é motivo de um orgulho gigante. As sessões do filme no Cinefoot e na Mostra de Tiradentes nos deram a dimensão do diálogo emocional que o filme provoca nos espectadores. Essas exibições nos festivais comprovaram a capacidade do filme de transportar o espectador para dentro do estádio naquele 24 de Julho de 2013. Me faz lembrar da clássica história de que o público fugia assustado quando o trem chegava na estação no filme dos irmãos Lumière. A diferença é que no O DIA DO GALO o público ao invés de fugir, vibra como se sentisse de novo a alegria daquela noite.”, define Cris Azzi

    Co-dirigido por Luiz Felipe Fernandes, o filme foi também lançado primeiramente em uma versão reduzida e disponibilizado na internet. O curta metragem, com 22 minutos de duração, foi uma ação inicial realizada pelos produtores para motivar os jogadores e toda a massa atleticana na disputa do Mundial de Clubes. Atualmente, o curta já ultrapassou a marca de de 350.000 visualizações no YouTube.

    No filme, encontramos torcedores atleticanos ilustres, personagens que já são bastante conhecidos do público belo-horizontino, como Mario Caixa, deputado estadual e narrador esportivo, responsável pelo famoso bordão CAIXA!, marca registrada do time mineiro; e Orlando, proprietário de um dos mais antigos e famosos bares da cidade, batizado com seu nome localizado no Bairro de Santa Tereza. No longa também somos apresentados a torcedores anônimos, o grande volume da massa alvinegra – em comum, a paixão pelo Galo. Cada um dos dez torcedores retratados foi filmado durante 24 horas na data da decisão.

    Desde sua primeira exibição, o longa metragem passou por festivais de cinema nacionais e internacionais, recebendo prêmios, menções e obtendo excelente repercussão junto ao público. Na 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes foi exibido ao ar livre, durante uma sessão lotada, marcada pela reação positiva da platéia como se estivesse novamente diante da conquista da Taça Libertadores, garantindo ao longa o título de vencedor da categoria Júri Popular. O filme também foi Vencedor da Mostra Competitiva Cinefoot BH 2014, festival destinado ao cinema de futebol.

    Agora, na véspera da comemoração de dois anos da grande conquista, no dia 23 de julho, o grande público pode vivenciar novamente todas as emoções que levaram ao título. Uma narrativa sensível e apaixonada que agradará a todos – até quem não torce pelo clube mineiro.

        

    Sobre os diretores
    Cris Azzi
    Diretor e produtor cinematográfico, estreou Sumidouro em 2005, um curta documentário premiado pelo MINC. Depois veio o episódio “Qualquer Vôo” do longa metragem “5 frações de uma Quase História” exibido em mais de 20 capitais brasileiras e premiado no CINE PE e no Festival de Miami. Sumidouro virou longa e estreou em 2008 no festival É Tudo Verdade. Em 2012 finalizou uma trilogia de filmes de amor feitos na China, em Cuba e no Brasil. “Cada Dia Uma Vida Inteira” seu novo filme de Longa Metragem estreou nos Canais Telecine e Canal Brasil em 2015. Agora se prepara para filmar em 2016 “Luna”, um novo longa metragem de ficção, premiado pelo Edital Filme Em Minas.

    Luiz Felipe Fernandes
    Diretor e montador de filmes de longa e curta metragem, documentários e vídeos para internet. Em parceria com Alexandre Baxter, realizou um dos episódios do longa metragem “Descaminhos”, exibido e premiado em festivais internacionais na Alemanha, Espanha, Rússia, Brasil, Cuba, entre outros, além do curta “Sobre o Resto dos Dias”, premiado em festivais nacionais. Como assistente de direção, trabalhou com diversos cineastas como José Joffily, Roberto Bomtempo, Helvécio Ratton, Alceu Valença, Luiz Carlos Lacerda, Elza Cataldo, Guilherme Fiúza e Marcelo Santiago. Atualmente está finalizando seu primeiro longa metragem de ficção, intitulado “Eu não sou daqui”.

    Nitro + Alicate
    O coletivo NITRO + ALICATE é a união de profissionais de comunicação e artes de duas agências de conteúdo de Belo Horizonte, que juntos, realizam projetos culturais e artísticos.

        

    FICHA TÉCNICA

    Produção
    Alicate
    Cris Azzi
    Nitro Imagens
    Direção
    Cris Azzi e Luiz Felipe Fernandes
    Produção Executiva
    Bruno Magalhães
    Argumento
    Cris Azzi
    Direção de Produção
    Carlos Paulino e Marcella Jacques
    Câmeras
    Alexandre Baxter
    Alexandre Mota
    Marinho Antunes
    Rodrigo Meireles
    Marcella Jacques
    João Flores
    Carlos Paulino
    Célio Dutra
    Alex Santana
    Gustavo Baxter
    Montagem
    Natacha Vassou
    Assistente de Montagem
    Mirella Persichini
    Trilha Sonora
    “Flicker” by Origamibiro
    Edição de Som
    Alexandre Martins – REC Studio
    Distribuição
    Delícia Filmes e Versão Final
    Assessoria de Imprensa e Produção de Conteúdo
    A Dupla Informação
    APOIO
    Clube Atlético Mineiro
    Galo na Veia
    Tom Lab
    REC Studio
    Frames
    Personagens
    Seu Orlando
    Célio Dutra
    Carlos Paulinho
    Leonita
    Natanael
    Fraçois e Berenice
    Pamela
    João Flores
    Lucas Fainblat
    Padre Natanael
    Mario Henrique Caixa

    Mais informações:
    Youtube
    Facebook
    TWT e Insta – @odiadogalo
    http://www.nitroimagens.com.br
    http://www.alicate.tv

     

    Detalhes

    Saiba mais
  • 30 jul 05 ago 2015

    [Estréia - em cartaz] Cauby – Começaria Tudo Outra Vez

    [Cine 104 Apresenta] Cauby – Começaria Tudo Outra Vez

    Direção: Nelson Hoineff | Brasil, 2013, 90 min | Classificação indicativa: 12 anos

    Sinopse: Documentário que conta a história do cantor Cauby Peixoto, uma figura icônica na música brasileira. Interpretando músicas desde a Bossa Nova até o Rock’n Roll, ele é considerado o maior cantor do Brasil por grandes nomes da música brasileira, como Elis Regina e Agnaldo Rayol.

    → De 30 de julho a 05 de agosto de 2015
    (exceto 2ª, dia 03 de agosto)
    Horário: 18h

    Entrada R$ 10 / R$ 5 (meia entrada)

    Sobre o filme
    Último remanescente da Era de Ouro do Rádio e considerado um dos maiores cantores de uma geração revelada nos anos 50, Cauby Peixoto, aos 84 anos, é apontado como um dos artistas mais emblemáticos da cultura do país e um dos poucos que manteve uma permanência tão consistente por tantas gerações.
    Cauby, intitulado símbolo de exuberância pelos seus figurinos e penteados, transmite, através desse confronto permanente entre artista e personagem, de forma poética e artística, a eterna arte de encantar seu público. Uma maneira esplendorosa de homenagear esse ícone é através de Cauby – Começaria Tudo Outra Vez, documentário de longa-metragem que discorre sobre a trajetória do grande intérprete e que, sobretudo, examina a natureza desse embate.

    O filme se estrutura sobre três grandes pilares: a ideia do eterno recomeço, expressa na parte do repertório do cantor; o seu modelo de interpretação, cuja temporalidade é singular na música popular brasileira; e a sinergia entre artistaplateia-personagem, que transcende gerações fazendo de Cauby Peixoto, em vida, uma personalidade legendária.
    Ainda durante o Getulismo, Cauby já era um grande ídolo popular no Brasil. Nasceu com a relação lúdica, exagerada, teatral, que perdura até hoje e se estendeu a muitos outros artistas populares. A história de sua carreira, desde então, estabelece elos muitos rígidos com a história política do país, em especial com o imaginário de novas gerações (seus fãs quase sempre tinham a mesma idade) frente às suas esperanças políticas e experiências afetivas.

    Em 1957, Cauby filmava em Hollywood (Jamboree), retornando ao país bastante alterado culturalmente. O único precedente era Carmen Miranda, que firmou-se por quase toda a vida em Hollywood. Seu personagem, ainda que inspirado nos grandes intérpretes americanos dos anos 40, ganha um brasileirismo visceral, mantendo o romantismo e a vertente popular. No palco, sua atitude permanece de sedução. Sua postura é discreta e Cauby trafega por diversos movimentos artísticos, sem filiar-se a qualquer corrente política, mas fazendo a mesma política em cada canção de amor.

    Cauby surge objeto de gerações, ora de apreciação, ora de zombaria, cujo engajamento político clamava por atitudes mais explícitas, mas é sua postura única que o torna artisticamente importante diante das expectativas circunstanciais. Fala de pequenos dramas do cotidiano – Conceição, de tragédias passionais – Ronda, Brigas de Amor, Onde foi que eu errei, Onde a dor não tem razão, e sobre a certeza do recomeço – Começaria tudo outra vez, Tudo lembra você, Rio antigo, Quem te viu, quem te vê.
    O documentário vai buscar as evidências da utopia do permanente recomeço através da grande história contada pelas músicas de Cauby e pela maneira como ele canta.

          

    Sobre o diretor
    Nelson Hoineff é jornalista, produtor e diretor. Em televisão, dirigiu o departamento de Programas Jornalísticos da Rede Manchete e foi diretor de programas jornalísticos no SBT, Rede Bandeirantes, GNT, TV Cultura e TVE do Rio, onde também atuou como consultor de programação.
    Especializou-se em HDTV e novas tecnologias de distribuição de TV em Nova York – onde fez seu mestrado e doutorado – e Tóquio. Entre as séries e programas mais conhecidos que dirigiu destaca-se o influente Documento Especial. Premiado várias vezes no Brasil (e também em Monte-Carlo e Berlim), o programa revolucionou a linguagem, o universo temático e a forma de abordagem do telejornalismo brasileiro. Foi ao ar em três redes abertas, tornando-se em cada uma um dos líderes de audiência: Rede Manchete (1989 – 1992), SBT (1992 – 1995) e Band (1996 – 1997). Entre 2008 e 2010, cerca de 80 programas (entre os mais de 400 produzidos) foram reprisados pelo Canal Brasil, em versões reduzidas de 45 para 30 minutos.

    Entre os muitos programas de televisão que dirigiu figuram também o Primeiro Plano (GNT depois Cultura, sobre as vanguardas artísticas brasileiras), Programa de Domingo(Manchete), Realidade (Band), Curto-Circuito (TVE). Celebridades do Brasil (Canal Brasil), As Chacretes (Canal Brasil), Vanguardas (Canal Brasil), e vários outros.
    Através de sua produtora, a Comunicação Alternativa (Comalt), tem participado da produção de séries para o Discovery Channel, Discovery Kids, Band, TV Cultura, Canal Brasil, TruTV, TV Brasil, Arte 1 e outros.

    Produziu e realizou, em 2000, o primeiro filme brasileiro inteiramente gravado, editado e exibido em sistema de Alta-Definição (HDTV): …Antes: uma viagem pela pré-história brasileira. Exibido durante todo o ano de 2000 na “Mostra do Redescobrimento” (Brasil+500) no Ibirapuera, S.Paulo, foi visto por mais de 1,8 milhão de pessoas. Para tal exibição, criou o Cinecaverna, um monumental cinema digital temático em forma de caverna para 450 espectadores, que se constituiu em um doa módulos da exposição.
    Ao todo, dirigiu até hoje mais de 700 documentários, seja na forma de séries de televisão, produtos isolados para TV ou filmes de longa-metragem.
    Entre 2008 e 2009, dirigiu dois documentários de longa-metragem: Alô, Alô, Terezinha! e Caro Francis.

    Em 2013, terminou seu quarto documentário de longa-metragem: Cauby – Começaria tudo outra vez, sobre o cantor Cauby Peixoto, teve sua primeira exibição no Festival do Rio, em setembro de 2013, recebendo, nas palavras da curadora Ilda Santiago, a maior ovação da história daquele festival. No mês seguinte, o filme foi exibido na Mostra de Cinema de São Paulo. Cauby – Começaria Tudo Outra Vez foi depois exibido no Vitória Cine Vídeo, no Festival Mimi em Olinda, Tiradentes, Paraty e Ouro Preto, no Cine Musica em Conservatória, no Festival de Ouro Preto e outros.

    Detalhes

    Saiba mais
  • 30 jul 05 ago 2015

    [Estréia - em cartaz] Sabotage – Maestro do Canão

    [Cine 104 Apresenta] Sabotage – Maestro do Canão

    Direção: Ivan 13P | Brasil/ SP, 2015, 110 min | Classificação indicativa: 14 anos

    Sinopse: Sabotage abre sua mente neste documentário inédito, soltando o verbo espontâneo, sincero e profundo. Discute a infância, o ócio, a rua, a desigualdade, o descaso, a solidariedade, o passado e o futuro, como uma antena que capta e emite realidade em todas as direções. Depoimentos de diversos músicos e pessoas ligadas a ele demonstram a importância desse artista que misturou estilos e se tornou uma lenda após sua morte.

    → De 30 de julho a 05 de agosto de 2015
    (exceto 2ª e 3ª, dias 03 e 04 de agosto)
    Horário: 20h45

    Entrada R$ 10 / R$ 5 (meia entrada)

                   

    Sobre o filme
    Ele é chamado de “Garrincha” da rima, “Che Guevara” do Rap e comparado a artistas como Bob Marley e Chico Science. Através dos depoimentos colhidos para o documentário “Sabotage – Maestro do Canão”, que contará nos cinemas a história do rapper SABOTAGE, sentimos a potência e a força deste verdadeiro artista brasileiro. Em certo momento do filme o cantor Paulo Miklos pergunta: “Quer saber o que é Rap Nacional? Sabotage. O cara mais esperto, a poesia mais cortante, mais brilhante que você vai poder encontrar. Vai estudar que você vai ver”. Todo esse talento e carisma levaram SABOTAGE para além da música, tendo uma forte atuação no cinema em filmes como “Carandiru” e “O Invasor”.
    É impossível conversar com qualquer apreciador de Rap sem que o nome SABOTAGE venha à tona, um dos maiores talentos que o Brasil já experimentou e que em pouco mais de 2 anos de carreira e, um único disco lançado, conseguiu deixar uma marca profunda na história e uma legião de fãs e seguidores. Dez anos se passaram após sua morte, vitima de assassinato, e cada vez mais o seu nome figura entre os grandes da música brasileira. Em 2015, a estreia do filme será um marco nesta trajetória.
    O projeto foi sendo amadurecido pelo diretor Ivan 13P, que ao longo dos últimos anos vem reuniu um rico material e depoimentos inéditos do artista. O filme é realizado através de uma parceria entre duas produtoras renomadas do mercado: a 13 Produções, produtora independente de São Paulo, é conhecida pelas suas produções independentes de documentários musicais de media-metragem, que se junta a uma das mais promissoras produtoras do mercado, a Elixir Entretenimento, que vem se destacando por trabalhos de grande sucesso como o documentário “Raul – O Início, O Fim e O meio”, que se tornou um case de sucesso no Cinema e Home Entertainment brasileiros.

    Detalhes

    Saiba mais
  • 04 ago 2015

    [CineQuintal no 104] Sessão dupla Gustavo Vinagre

    [CineQuintal no 104]  Sessão dupla Gustavo Vinagre

    La Llamada

    Direção: Gustavo Vinagre | 2014, 19 min | Classificação indicativa: 18 anos

    Sinopse: Lázaro Escarze, um cubano revolucionário de 87 anos, vive num pequeno povoado e terá seu telefone instalado pela primeira vez na vida. Para quem ele vai ligar?

     

    Nova Dubai

    Direção: Gustavo Vinagre | 2014, 56 min  | Classificação indicativa: 18 anos

    Sinopse: Num bairro de classe média numa cidade do interior do Brasil, a especulação imobiliária ameaça os espaços afetivos da memória de um grupo de amigos. Sua resposta diante dessa iminente transformação é praticar sexo em locais públicos e nessas construções.
    E o amor? É apenas mais uma construção?

     La Llamada + Nova Dubai
    → Terça-feira, 04 de agosto
    Horário: 20h45
    Entrada gratuita sujeita à lotação da sala

    Detalhes

    Saiba mais
  • 05 ago 2015

    [sessão comentada do filme O Dia do Galo] com o diretor Cris Azzi

    [sessão comentada do filme O Dia do Galo] com o diretor Cris Azzi

    No dia 05 de agosto, às 19h30, o Cine 104 realiza sessão comentada do filme O Dia do Galo, com o diretor Cris Azzi, que falará sobre o processo de construção do filme, desde sua concepção, até sua estreia nos cinemas de Belo Horizonte.

    O debate acontecerá no Multiuso 2, no 2º andar do 104, às 20h30.
    Será aberto e com entrada liberada a todos os interessados.

     

    Detalhes

    Saiba mais
  • 06 ago 12 ago 2015

    [mostra] Cinema Animal – Itinerância BH

    Mostra Animal – Mostra Internacional de Cinema pelos Animais
    Itinerância Belo Horizonte – 6 a 12 de agosto

    Entre os dias 6 e 12 de agosto, Belo Horizonte receberá pela primeira vez a Mostra Animal – Mostra Internacional de Cinema pelos Animais, que acontece em Curitiba desde 2009 e circula por outras cidades brasileiras em programações itinerantes.

    A mostra é organizada pela Sociedade Vegetariana Brasileira de Curitiba e de Belo Horizonte e pelo Movimento Mineiro pelos Direitos Animais, com o apoio do Cine 104.

    Entrada gratuita com distribuição de ingressos meia hora antes das sessões
    Classificação indicativa: 14 anos
    Mais informações em: www.mostraanimal.com.br

     

    →  06 de agosto (quinta), 19h

    Fulaninho, o cão que ninguém queria
    Direção: Denise Gonçalves, Brasil/ SP, 2001, 18 min

    Sinopse: Cãozinho abandonado relata sua vivência e ensina sobre a guarda responsável de animais de estimação.

     
    Tauromachine (Tauromachine)
    Direção: Christophe Thomas, França, 2012, 5 min

    Sinopse: Christophe Thomas, um ativista francês, decide salvar um touro (Fadjen) que teria como destino certo a arena sangrenta das touradas. Da raça “Touro Bravo”, os criadores alertaram que seria naturalmente agressivo, selecionado geneticamente para atacar o homem em um duelo até a morte. Mas será que o amor de um homem seria capaz de provar o contrário?
    Confira ao som da música Tauromachine, de Matthias Ferranges, o dia-a-dia de Fadjen. Christophe e Fadjen estão hoje à frente do movimento mundial pelo fim das touradas.

     
    Toda diferença do mundo (All the Difference in the World)
    Direção: Jenny Stein, EUA, 2013, 16 min

    Sinopse: “Toda a diferença do mundo” compartilha a história dramática e inspiradora de um dos maiores resgates de animais na história dos Estados Unidos, após a destruição de uma fazenda industrial de ovos por um furacão. Ele oferece um insight sobre uma questão que assombra muitos dos que lutam por justiça social: com problemas tão grandes e complexos, como podem os nossos esforços individuais significar alguma coisa ou fazerem real diferença diante da enormidade da tragédia e da injustiça? A resposta reside na abordagem corajosa adotada por esses salvadores de animais. Ao invés de sucumbir ao desespero, eles reúnem uma comunidade para juntos fazerem tudo o que podem, enquanto
    sabem que inúmeros indivíduos não poderão ser salvos. Ao mesmo tempo que carregam em seus corações o peso de todas as tragédias que eles são incapazes de impedir, eles também abrem-se à alegria que chega quando se dá tudo o que se tem para oferecer.

     

    Jim Morris: fitness ao longo da vida (Jim Morris – Lifelong Fitness)
    Direção: Ryan Vance, EUA, 2014, 17 min

    Sinopse: Como fisiculturista professional por 30 anos, Jim ganhou muitos grandes títulos incluindo Mr. America, Mr. USA e Mr. International. Em 1996, Jim ganhou o Mr. Olympia masters com idade de 61 anos, sendo vegetariano. Em 2000, Jim se tornou vegano por motivos éticos e de saúde. Ele continua a treinar regularmente e trabalha como personal trainer em Venice, California. O filme explora a fantástica estória e os pensamentos fascinantes de Jim sobre a vida, envelhecimento e realização pessoal.

     

    →  07 de agosto (sexta), 19h

    Nós
    Direção: Fernanda Lange, Brasil/ SC, 2014, 3 min

    Sinopse: A privação da liberdade é um dos piores retratos da violência que cometemos contra os animais não-humanos. Em um pacto com tradições antropocêntricas incompreensíveis, a limitação de movimentos suga, também, o psicológico – diariamente. O que fizemos? O que eles fizeram para merecer isso?

     

    Leitão pururuca
    Direção: Fiori Vonière, Brasil/ PR, 2014, 8 min

    Sinopse: Uma noite de Natal se transforma num velório macabro quando cristianismo e espiritualidade se chocam em poesia.

     
    Planeat (Planeat)
    Direção: Or Shlomi e Shelley Lee Davies, Inglaterra, 2011, 72 min

    Sinopse: PLANEAT é a história da busca de três homens para encontrar uma dieta que seja boa para nossa saúde, boa para o ambiente e boa para o futuro do planeta. Com um elenco adicional de chefs pioneiros e a melhor culinária que você já viu, os cientistas e médicos no filme apresentarão um caso convincente para o Ocidente reexaminar o seu caso de amor com carne e produtos lácteos. O filme apresenta o inovador trabalho do Dr. T Colin Campbell na China explorando a ligação entre dieta e doença, o uso da dieta pelo Dr. Caldwell Esselstyn para o tratamento de pacientes com doença cardíaca, e as investigações do cientista Dr. Gidon Eshel sobre como nossas escolhas alimentares contribuem para o aquecimento global, uso da terra e zonas mortas do oceano. Com a ajuda de alguns agricultores inovadores e chefs, PLANEAT
    mostra como os problemas que enfrentamos hoje podem ser resolvidos, sem ter que recorrer a uma dieta de lentilhas e folhas de alface.

     

    →  08 de agosto (sábado), 19h

    Pegada Tóxica (Tail of Toxics)
    Direção: Aryenish Birdie, EUA, 2014, 3 min

    Sinopse: Testes excruciantes são realizados em milhares de animais todos os dias para trazer novas drogas, cosméticos e pesticidas para o mercado.
    Reconhecendo que a experimentação animal é lenta, exige grandes recursos e não necessariamente prevê resultados confiáveis sobre a saúde de seres humanos, a Academia Nacional de Ciências dos EUA recomendou a mudança de testes com animais para métodos de ensaio sem animais, que são mais precisos e de baixo custo. Entenda porque o teste em animais não é a melhor opção sob o ponto de vista científico e ético, nessa dinâmica animação produzida pelo Comitê Médico pela Medicina Responsável (Physicians Committee for Responsible Medicine – PCRM), respeitada organização norte-americana.

     

    Penso, logo… não durmo
    Direção: Luara Lux, Brasil/ PR, 2014, 12 min

    Sinopse: É difícil dormir imersa em tanta tranquilidade.

     

    Peaceble Kingdom: jornada rumo ao lar (Peaceble Kingdom: the journey home)
    Direção: Jenny Stein, EUA/ 2012, 78 min)

    Sinopse: Abra seus olhos. Confie em seu coração. Faça a jornada. Cinco fazendeiros, uma oficial de proteção animal, um protetor e uma vaca chamada Snickers farão você rir, chorar , expandir sua consciência e desafiar o que você pensa sobre a pecuária. O premiado documentário é uma história fascinante de transformação e cura. Ele explora como várias pessoas do meio rural experienciaram uma batalha com a própria consciência na medida em que questionaram pressupostos básicos do meio de vida que herdaram. Tem sido descrito como “uma experiência transformadora” pelo público.

     

    →  09 de agosto (domingo), 19h


    Um pedido de desculpas aos elefantes (An Apology to Elephants)
    Direção: Amy Schatz, EUA, 2013, 40 min

    Sinopse: Narrado por Lily Tomlin e dirigido pela ganhadora do EMMY Amy Schatz, “Um pedido de desculpas aos elefantes” conta a problemática história dos elefantes em cativeiro. Um chamado para a compaixão e melhor tratamento, o filme é também uma súplica para que salvemos o que sobrou na Natureza de nosso mundo.

     

    Lolita – escrava pelo entretenimento (Lolita – Slave to entertainment)
    Direção: Tim Gorski, EUA, 2013, 56 min

    Sinopse: segredos obscuros da indústria multi-bilionária dos aquários, questionando a ética humana no relacionamento com animais para
    entretenimento. Retrata a comovente história de Lolita, uma baleia assassina mantida em exposição no Aquário Marinho de Miami, Flórida, por mais de 40 anos.

     

    →  11 de agosto (terça), 19h

    A história de uma mãe (Die Geschichte einer mutter)
    Direção: Adrian Marmy, Suíça, 2014, 4 min

    Sinopse: Um curta que conta a história trágica da vida de uma mãe.

     

    Os papagaios selvagens de Telegraph Hill (The Wild parrots of Telegraph Hill)
    Direção: Judy Irving, EUA, 2003, 83 min

    Sinopse: “Os Papagaios Selvagens de Telegraph Hill” é a verdadeira história de um boêmio de São Francisco e seu notável relacionamento com um bando de papagaios selvagens verdes e vermelhos. Mark Bittner, um músico de rua sem-teto em San Francisco, se encontra com o bando enquanto ele procura um sentido para a sua vida, sem saber que os papagaios selvagens vão lhe trazer tudo o que ele precisa.

     

    →  12 de agosto (quarta), 19h

    A.l.F.(A.L.F.)
    Direção: Jérôme Lescure, França, 2013, 96 min

    Sinopse: 26 de dezembro … Olivier Chartier, um policial francês, tem que descobrir o que aconteceu na véspera do Natal: Franck, um professor de teatro insignificante, foi colocado em prisão preventiva… Este homem, como suspeita Chartier, é membro de um grupo sem líder: a Frente de Libertação Animal…
    Estas pessoas voluntariamente optam por quebrar a lei para salvar os animais, impulsionadas por sua empatia em relação a esses seres vivos torturados. Para eles, quando a linha da razão é cruzada, você tem que esquecer o que é legal para fazer o que parece ético.

    Detalhes

    Saiba mais
  • 10 ago 2015

    BAU em férias

    O BAU está saindo de férias!
    Divulgaremos em breve, as informações sobre a próxima edição e como participar. Aguarde as novidades!

    Detalhes

    Saiba mais

  • 30 jul 05 ago 2015

    [em cartaz] O Dia do Galo

    [2ª semana] O Dia do Galo

    Prêmio do Júri Popular na 18a Mostra de Cinema de Tiradentes
    Vencedor da Mostra Competitiva CineFoot BH 2014

    Direção: Cris Azzi e Luiz Felipe Fernandes |Brasil/ MG, 2014, 60 min | Classificação indicativa: livre

    Sinopse: O documentário mostra a emoção dos torcedores do clube Atlético Mineiro ao vencerem, em 2013, a Copa Libertadores da América. Através do olhar de dez atleticanos, o filme mostra uma história de fé, paixão, amor e futebol.

    De 30 de julho a 05 de agosto de 2015
    (exceto 2ª, dia 03 de agosto)

    Horários: 16h50 e  19h30 
    Entrada R$ 10 / R$ 5 (meia entrada)

    Sobre o filme
    Amantes do cinema e do futebol têm compromisso certo no próximo dia 23 de julho: a estreia nos cinemas do documentário O Dia do Galo, que narra a emocionante conquista da Copa Libertadores da América de 2013 pelo Clube Atlético Mineiro. O filme acompanha a rotina de dez atleticanos na data da grande final do torneio, no dia 24 de julho daquele ano. Para transformar o projeto em realidade o diretor Cris Azzi convidou O Coletivo NITRO + Alicate e, assim, formou-se uma equipe que reúne quase 50 atleticanos, entre personagens e produtores. O resultado é um filme apaixonado e muito comovente, à altura da conquista alvinegra.

    “A ideia de misturar o futebol e o cinema, duas das minhas maiores paixões, é antiga. Desde 2004 flerto com a possibilidade de fazer um filme sobre o Galo. Acredito que as coisas tem um tempo certo pra acontecer e esse tempo chegou. Poder fazer parte de um registro histórico que certamente será eternizado na memória do público(especialmente dos atleticanos) é motivo de um orgulho gigante. As sessões do filme no Cinefoot e na Mostra de Tiradentes nos deram a dimensão do diálogo emocional que o filme provoca nos espectadores. Essas exibições nos festivais comprovaram a capacidade do filme de transportar o espectador para dentro do estádio naquele 24 de Julho de 2013. Me faz lembrar da clássica história de que o público fugia assustado quando o trem chegava na estação no filme dos irmãos Lumière. A diferença é que no O DIA DO GALO o público ao invés de fugir, vibra como se sentisse de novo a alegria daquela noite.”, define Cris Azzi

    Co-dirigido por Luiz Felipe Fernandes, o filme foi também lançado primeiramente em uma versão reduzida e disponibilizado na internet. O curta metragem, com 22 minutos de duração, foi uma ação inicial realizada pelos produtores para motivar os jogadores e toda a massa atleticana na disputa do Mundial de Clubes. Atualmente, o curta já ultrapassou a marca de de 350.000 visualizações no YouTube.

    No filme, encontramos torcedores atleticanos ilustres, personagens que já são bastante conhecidos do público belo-horizontino, como Mario Caixa, deputado estadual e narrador esportivo, responsável pelo famoso bordão CAIXA!, marca registrada do time mineiro; e Orlando, proprietário de um dos mais antigos e famosos bares da cidade, batizado com seu nome localizado no Bairro de Santa Tereza. No longa também somos apresentados a torcedores anônimos, o grande volume da massa alvinegra – em comum, a paixão pelo Galo. Cada um dos dez torcedores retratados foi filmado durante 24 horas na data da decisão.

    Desde sua primeira exibição, o longa metragem passou por festivais de cinema nacionais e internacionais, recebendo prêmios, menções e obtendo excelente repercussão junto ao público. Na 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes foi exibido ao ar livre, durante uma sessão lotada, marcada pela reação positiva da platéia como se estivesse novamente diante da conquista da Taça Libertadores, garantindo ao longa o título de vencedor da categoria Júri Popular. O filme também foi Vencedor da Mostra Competitiva Cinefoot BH 2014, festival destinado ao cinema de futebol.

    Agora, na véspera da comemoração de dois anos da grande conquista, no dia 23 de julho, o grande público pode vivenciar novamente todas as emoções que levaram ao título. Uma narrativa sensível e apaixonada que agradará a todos – até quem não torce pelo clube mineiro.

        

    Sobre os diretores
    Cris Azzi
    Diretor e produtor cinematográfico, estreou Sumidouro em 2005, um curta documentário premiado pelo MINC. Depois veio o episódio “Qualquer Vôo” do longa metragem “5 frações de uma Quase História” exibido em mais de 20 capitais brasileiras e premiado no CINE PE e no Festival de Miami. Sumidouro virou longa e estreou em 2008 no festival É Tudo Verdade. Em 2012 finalizou uma trilogia de filmes de amor feitos na China, em Cuba e no Brasil. “Cada Dia Uma Vida Inteira” seu novo filme de Longa Metragem estreou nos Canais Telecine e Canal Brasil em 2015. Agora se prepara para filmar em 2016 “Luna”, um novo longa metragem de ficção, premiado pelo Edital Filme Em Minas.

    Luiz Felipe Fernandes
    Diretor e montador de filmes de longa e curta metragem, documentários e vídeos para internet. Em parceria com Alexandre Baxter, realizou um dos episódios do longa metragem “Descaminhos”, exibido e premiado em festivais internacionais na Alemanha, Espanha, Rússia, Brasil, Cuba, entre outros, além do curta “Sobre o Resto dos Dias”, premiado em festivais nacionais. Como assistente de direção, trabalhou com diversos cineastas como José Joffily, Roberto Bomtempo, Helvécio Ratton, Alceu Valença, Luiz Carlos Lacerda, Elza Cataldo, Guilherme Fiúza e Marcelo Santiago. Atualmente está finalizando seu primeiro longa metragem de ficção, intitulado “Eu não sou daqui”.

    Nitro + Alicate
    O coletivo NITRO + ALICATE é a união de profissionais de comunicação e artes de duas agências de conteúdo de Belo Horizonte, que juntos, realizam projetos culturais e artísticos.

        

    FICHA TÉCNICA

    Produção
    Alicate
    Cris Azzi
    Nitro Imagens
    Direção
    Cris Azzi e Luiz Felipe Fernandes
    Produção Executiva
    Bruno Magalhães
    Argumento
    Cris Azzi
    Direção de Produção
    Carlos Paulino e Marcella Jacques
    Câmeras
    Alexandre Baxter
    Alexandre Mota
    Marinho Antunes
    Rodrigo Meireles
    Marcella Jacques
    João Flores
    Carlos Paulino
    Célio Dutra
    Alex Santana
    Gustavo Baxter
    Montagem
    Natacha Vassou
    Assistente de Montagem
    Mirella Persichini
    Trilha Sonora
    “Flicker” by Origamibiro
    Edição de Som
    Alexandre Martins – REC Studio
    Distribuição
    Delícia Filmes e Versão Final
    Assessoria de Imprensa e Produção de Conteúdo
    A Dupla Informação
    APOIO
    Clube Atlético Mineiro
    Galo na Veia
    Tom Lab
    REC Studio
    Frames
    Personagens
    Seu Orlando
    Célio Dutra
    Carlos Paulinho
    Leonita
    Natanael
    Fraçois e Berenice
    Pamela
    João Flores
    Lucas Fainblat
    Padre Natanael
    Mario Henrique Caixa

    Mais informações:
    Youtube
    Facebook
    TWT e Insta – @odiadogalo
    http://www.nitroimagens.com.br
    http://www.alicate.tv

     

    Detalhes

    Saiba mais
  • 30 jul 05 ago 2015

    [Estréia - em cartaz] Cauby – Começaria Tudo Outra Vez

    [Cine 104 Apresenta] Cauby – Começaria Tudo Outra Vez

    Direção: Nelson Hoineff | Brasil, 2013, 90 min | Classificação indicativa: 12 anos

    Sinopse: Documentário que conta a história do cantor Cauby Peixoto, uma figura icônica na música brasileira. Interpretando músicas desde a Bossa Nova até o Rock’n Roll, ele é considerado o maior cantor do Brasil por grandes nomes da música brasileira, como Elis Regina e Agnaldo Rayol.

    → De 30 de julho a 05 de agosto de 2015
    (exceto 2ª, dia 03 de agosto)
    Horário: 18h

    Entrada R$ 10 / R$ 5 (meia entrada)

    Sobre o filme
    Último remanescente da Era de Ouro do Rádio e considerado um dos maiores cantores de uma geração revelada nos anos 50, Cauby Peixoto, aos 84 anos, é apontado como um dos artistas mais emblemáticos da cultura do país e um dos poucos que manteve uma permanência tão consistente por tantas gerações.
    Cauby, intitulado símbolo de exuberância pelos seus figurinos e penteados, transmite, através desse confronto permanente entre artista e personagem, de forma poética e artística, a eterna arte de encantar seu público. Uma maneira esplendorosa de homenagear esse ícone é através de Cauby – Começaria Tudo Outra Vez, documentário de longa-metragem que discorre sobre a trajetória do grande intérprete e que, sobretudo, examina a natureza desse embate.

    O filme se estrutura sobre três grandes pilares: a ideia do eterno recomeço, expressa na parte do repertório do cantor; o seu modelo de interpretação, cuja temporalidade é singular na música popular brasileira; e a sinergia entre artistaplateia-personagem, que transcende gerações fazendo de Cauby Peixoto, em vida, uma personalidade legendária.
    Ainda durante o Getulismo, Cauby já era um grande ídolo popular no Brasil. Nasceu com a relação lúdica, exagerada, teatral, que perdura até hoje e se estendeu a muitos outros artistas populares. A história de sua carreira, desde então, estabelece elos muitos rígidos com a história política do país, em especial com o imaginário de novas gerações (seus fãs quase sempre tinham a mesma idade) frente às suas esperanças políticas e experiências afetivas.

    Em 1957, Cauby filmava em Hollywood (Jamboree), retornando ao país bastante alterado culturalmente. O único precedente era Carmen Miranda, que firmou-se por quase toda a vida em Hollywood. Seu personagem, ainda que inspirado nos grandes intérpretes americanos dos anos 40, ganha um brasileirismo visceral, mantendo o romantismo e a vertente popular. No palco, sua atitude permanece de sedução. Sua postura é discreta e Cauby trafega por diversos movimentos artísticos, sem filiar-se a qualquer corrente política, mas fazendo a mesma política em cada canção de amor.

    Cauby surge objeto de gerações, ora de apreciação, ora de zombaria, cujo engajamento político clamava por atitudes mais explícitas, mas é sua postura única que o torna artisticamente importante diante das expectativas circunstanciais. Fala de pequenos dramas do cotidiano – Conceição, de tragédias passionais – Ronda, Brigas de Amor, Onde foi que eu errei, Onde a dor não tem razão, e sobre a certeza do recomeço – Começaria tudo outra vez, Tudo lembra você, Rio antigo, Quem te viu, quem te vê.
    O documentário vai buscar as evidências da utopia do permanente recomeço através da grande história contada pelas músicas de Cauby e pela maneira como ele canta.

          

    Sobre o diretor
    Nelson Hoineff é jornalista, produtor e diretor. Em televisão, dirigiu o departamento de Programas Jornalísticos da Rede Manchete e foi diretor de programas jornalísticos no SBT, Rede Bandeirantes, GNT, TV Cultura e TVE do Rio, onde também atuou como consultor de programação.
    Especializou-se em HDTV e novas tecnologias de distribuição de TV em Nova York – onde fez seu mestrado e doutorado – e Tóquio. Entre as séries e programas mais conhecidos que dirigiu destaca-se o influente Documento Especial. Premiado várias vezes no Brasil (e também em Monte-Carlo e Berlim), o programa revolucionou a linguagem, o universo temático e a forma de abordagem do telejornalismo brasileiro. Foi ao ar em três redes abertas, tornando-se em cada uma um dos líderes de audiência: Rede Manchete (1989 – 1992), SBT (1992 – 1995) e Band (1996 – 1997). Entre 2008 e 2010, cerca de 80 programas (entre os mais de 400 produzidos) foram reprisados pelo Canal Brasil, em versões reduzidas de 45 para 30 minutos.

    Entre os muitos programas de televisão que dirigiu figuram também o Primeiro Plano (GNT depois Cultura, sobre as vanguardas artísticas brasileiras), Programa de Domingo(Manchete), Realidade (Band), Curto-Circuito (TVE). Celebridades do Brasil (Canal Brasil), As Chacretes (Canal Brasil), Vanguardas (Canal Brasil), e vários outros.
    Através de sua produtora, a Comunicação Alternativa (Comalt), tem participado da produção de séries para o Discovery Channel, Discovery Kids, Band, TV Cultura, Canal Brasil, TruTV, TV Brasil, Arte 1 e outros.

    Produziu e realizou, em 2000, o primeiro filme brasileiro inteiramente gravado, editado e exibido em sistema de Alta-Definição (HDTV): …Antes: uma viagem pela pré-história brasileira. Exibido durante todo o ano de 2000 na “Mostra do Redescobrimento” (Brasil+500) no Ibirapuera, S.Paulo, foi visto por mais de 1,8 milhão de pessoas. Para tal exibição, criou o Cinecaverna, um monumental cinema digital temático em forma de caverna para 450 espectadores, que se constituiu em um doa módulos da exposição.
    Ao todo, dirigiu até hoje mais de 700 documentários, seja na forma de séries de televisão, produtos isolados para TV ou filmes de longa-metragem.
    Entre 2008 e 2009, dirigiu dois documentários de longa-metragem: Alô, Alô, Terezinha! e Caro Francis.

    Em 2013, terminou seu quarto documentário de longa-metragem: Cauby – Começaria tudo outra vez, sobre o cantor Cauby Peixoto, teve sua primeira exibição no Festival do Rio, em setembro de 2013, recebendo, nas palavras da curadora Ilda Santiago, a maior ovação da história daquele festival. No mês seguinte, o filme foi exibido na Mostra de Cinema de São Paulo. Cauby – Começaria Tudo Outra Vez foi depois exibido no Vitória Cine Vídeo, no Festival Mimi em Olinda, Tiradentes, Paraty e Ouro Preto, no Cine Musica em Conservatória, no Festival de Ouro Preto e outros.

    Detalhes

    Saiba mais
  • 30 jul 05 ago 2015

    [Estréia - em cartaz] Sabotage – Maestro do Canão

    [Cine 104 Apresenta] Sabotage – Maestro do Canão

    Direção: Ivan 13P | Brasil/ SP, 2015, 110 min | Classificação indicativa: 14 anos

    Sinopse: Sabotage abre sua mente neste documentário inédito, soltando o verbo espontâneo, sincero e profundo. Discute a infância, o ócio, a rua, a desigualdade, o descaso, a solidariedade, o passado e o futuro, como uma antena que capta e emite realidade em todas as direções. Depoimentos de diversos músicos e pessoas ligadas a ele demonstram a importância desse artista que misturou estilos e se tornou uma lenda após sua morte.

    → De 30 de julho a 05 de agosto de 2015
    (exceto 2ª e 3ª, dias 03 e 04 de agosto)
    Horário: 20h45

    Entrada R$ 10 / R$ 5 (meia entrada)

                   

    Sobre o filme
    Ele é chamado de “Garrincha” da rima, “Che Guevara” do Rap e comparado a artistas como Bob Marley e Chico Science. Através dos depoimentos colhidos para o documentário “Sabotage – Maestro do Canão”, que contará nos cinemas a história do rapper SABOTAGE, sentimos a potência e a força deste verdadeiro artista brasileiro. Em certo momento do filme o cantor Paulo Miklos pergunta: “Quer saber o que é Rap Nacional? Sabotage. O cara mais esperto, a poesia mais cortante, mais brilhante que você vai poder encontrar. Vai estudar que você vai ver”. Todo esse talento e carisma levaram SABOTAGE para além da música, tendo uma forte atuação no cinema em filmes como “Carandiru” e “O Invasor”.
    É impossível conversar com qualquer apreciador de Rap sem que o nome SABOTAGE venha à tona, um dos maiores talentos que o Brasil já experimentou e que em pouco mais de 2 anos de carreira e, um único disco lançado, conseguiu deixar uma marca profunda na história e uma legião de fãs e seguidores. Dez anos se passaram após sua morte, vitima de assassinato, e cada vez mais o seu nome figura entre os grandes da música brasileira. Em 2015, a estreia do filme será um marco nesta trajetória.
    O projeto foi sendo amadurecido pelo diretor Ivan 13P, que ao longo dos últimos anos vem reuniu um rico material e depoimentos inéditos do artista. O filme é realizado através de uma parceria entre duas produtoras renomadas do mercado: a 13 Produções, produtora independente de São Paulo, é conhecida pelas suas produções independentes de documentários musicais de media-metragem, que se junta a uma das mais promissoras produtoras do mercado, a Elixir Entretenimento, que vem se destacando por trabalhos de grande sucesso como o documentário “Raul – O Início, O Fim e O meio”, que se tornou um case de sucesso no Cinema e Home Entertainment brasileiros.

    Detalhes

    Saiba mais
  • 04 ago 2015

    [CineQuintal no 104] Sessão dupla Gustavo Vinagre

    [CineQuintal no 104]  Sessão dupla Gustavo Vinagre

    La Llamada

    Direção: Gustavo Vinagre | 2014, 19 min | Classificação indicativa: 18 anos

    Sinopse: Lázaro Escarze, um cubano revolucionário de 87 anos, vive num pequeno povoado e terá seu telefone instalado pela primeira vez na vida. Para quem ele vai ligar?

     

    Nova Dubai

    Direção: Gustavo Vinagre | 2014, 56 min  | Classificação indicativa: 18 anos

    Sinopse: Num bairro de classe média numa cidade do interior do Brasil, a especulação imobiliária ameaça os espaços afetivos da memória de um grupo de amigos. Sua resposta diante dessa iminente transformação é praticar sexo em locais públicos e nessas construções.
    E o amor? É apenas mais uma construção?

     La Llamada + Nova Dubai
    → Terça-feira, 04 de agosto
    Horário: 20h45
    Entrada gratuita sujeita à lotação da sala

    Detalhes

    Saiba mais
  • 05 ago 2015

    [sessão comentada do filme O Dia do Galo] com o diretor Cris Azzi

    [sessão comentada do filme O Dia do Galo] com o diretor Cris Azzi

    No dia 05 de agosto, às 19h30, o Cine 104 realiza sessão comentada do filme O Dia do Galo, com o diretor Cris Azzi, que falará sobre o processo de construção do filme, desde sua concepção, até sua estreia nos cinemas de Belo Horizonte.

    O debate acontecerá no Multiuso 2, no 2º andar do 104, às 20h30.
    Será aberto e com entrada liberada a todos os interessados.

     

    Detalhes

    Saiba mais
  • 06 ago 12 ago 2015

    [mostra] Cinema Animal – Itinerância BH

    Mostra Animal – Mostra Internacional de Cinema pelos Animais
    Itinerância Belo Horizonte – 6 a 12 de agosto

    Entre os dias 6 e 12 de agosto, Belo Horizonte receberá pela primeira vez a Mostra Animal – Mostra Internacional de Cinema pelos Animais, que acontece em Curitiba desde 2009 e circula por outras cidades brasileiras em programações itinerantes.

    A mostra é organizada pela Sociedade Vegetariana Brasileira de Curitiba e de Belo Horizonte e pelo Movimento Mineiro pelos Direitos Animais, com o apoio do Cine 104.

    Entrada gratuita com distribuição de ingressos meia hora antes das sessões
    Classificação indicativa: 14 anos
    Mais informações em: www.mostraanimal.com.br

     

    →  06 de agosto (quinta), 19h

    Fulaninho, o cão que ninguém queria
    Direção: Denise Gonçalves, Brasil/ SP, 2001, 18 min

    Sinopse: Cãozinho abandonado relata sua vivência e ensina sobre a guarda responsável de animais de estimação.

     
    Tauromachine (Tauromachine)
    Direção: Christophe Thomas, França, 2012, 5 min

    Sinopse: Christophe Thomas, um ativista francês, decide salvar um touro (Fadjen) que teria como destino certo a arena sangrenta das touradas. Da raça “Touro Bravo”, os criadores alertaram que seria naturalmente agressivo, selecionado geneticamente para atacar o homem em um duelo até a morte. Mas será que o amor de um homem seria capaz de provar o contrário?
    Confira ao som da música Tauromachine, de Matthias Ferranges, o dia-a-dia de Fadjen. Christophe e Fadjen estão hoje à frente do movimento mundial pelo fim das touradas.

     
    Toda diferença do mundo (All the Difference in the World)
    Direção: Jenny Stein, EUA, 2013, 16 min

    Sinopse: “Toda a diferença do mundo” compartilha a história dramática e inspiradora de um dos maiores resgates de animais na história dos Estados Unidos, após a destruição de uma fazenda industrial de ovos por um furacão. Ele oferece um insight sobre uma questão que assombra muitos dos que lutam por justiça social: com problemas tão grandes e complexos, como podem os nossos esforços individuais significar alguma coisa ou fazerem real diferença diante da enormidade da tragédia e da injustiça? A resposta reside na abordagem corajosa adotada por esses salvadores de animais. Ao invés de sucumbir ao desespero, eles reúnem uma comunidade para juntos fazerem tudo o que podem, enquanto
    sabem que inúmeros indivíduos não poderão ser salvos. Ao mesmo tempo que carregam em seus corações o peso de todas as tragédias que eles são incapazes de impedir, eles também abrem-se à alegria que chega quando se dá tudo o que se tem para oferecer.

     

    Jim Morris: fitness ao longo da vida (Jim Morris – Lifelong Fitness)
    Direção: Ryan Vance, EUA, 2014, 17 min

    Sinopse: Como fisiculturista professional por 30 anos, Jim ganhou muitos grandes títulos incluindo Mr. America, Mr. USA e Mr. International. Em 1996, Jim ganhou o Mr. Olympia masters com idade de 61 anos, sendo vegetariano. Em 2000, Jim se tornou vegano por motivos éticos e de saúde. Ele continua a treinar regularmente e trabalha como personal trainer em Venice, California. O filme explora a fantástica estória e os pensamentos fascinantes de Jim sobre a vida, envelhecimento e realização pessoal.

     

    →  07 de agosto (sexta), 19h

    Nós
    Direção: Fernanda Lange, Brasil/ SC, 2014, 3 min

    Sinopse: A privação da liberdade é um dos piores retratos da violência que cometemos contra os animais não-humanos. Em um pacto com tradições antropocêntricas incompreensíveis, a limitação de movimentos suga, também, o psicológico – diariamente. O que fizemos? O que eles fizeram para merecer isso?

     

    Leitão pururuca
    Direção: Fiori Vonière, Brasil/ PR, 2014, 8 min

    Sinopse: Uma noite de Natal se transforma num velório macabro quando cristianismo e espiritualidade se chocam em poesia.

     
    Planeat (Planeat)
    Direção: Or Shlomi e Shelley Lee Davies, Inglaterra, 2011, 72 min

    Sinopse: PLANEAT é a história da busca de três homens para encontrar uma dieta que seja boa para nossa saúde, boa para o ambiente e boa para o futuro do planeta. Com um elenco adicional de chefs pioneiros e a melhor culinária que você já viu, os cientistas e médicos no filme apresentarão um caso convincente para o Ocidente reexaminar o seu caso de amor com carne e produtos lácteos. O filme apresenta o inovador trabalho do Dr. T Colin Campbell na China explorando a ligação entre dieta e doença, o uso da dieta pelo Dr. Caldwell Esselstyn para o tratamento de pacientes com doença cardíaca, e as investigações do cientista Dr. Gidon Eshel sobre como nossas escolhas alimentares contribuem para o aquecimento global, uso da terra e zonas mortas do oceano. Com a ajuda de alguns agricultores inovadores e chefs, PLANEAT
    mostra como os problemas que enfrentamos hoje podem ser resolvidos, sem ter que recorrer a uma dieta de lentilhas e folhas de alface.

     

    →  08 de agosto (sábado), 19h

    Pegada Tóxica (Tail of Toxics)
    Direção: Aryenish Birdie, EUA, 2014, 3 min

    Sinopse: Testes excruciantes são realizados em milhares de animais todos os dias para trazer novas drogas, cosméticos e pesticidas para o mercado.
    Reconhecendo que a experimentação animal é lenta, exige grandes recursos e não necessariamente prevê resultados confiáveis sobre a saúde de seres humanos, a Academia Nacional de Ciências dos EUA recomendou a mudança de testes com animais para métodos de ensaio sem animais, que são mais precisos e de baixo custo. Entenda porque o teste em animais não é a melhor opção sob o ponto de vista científico e ético, nessa dinâmica animação produzida pelo Comitê Médico pela Medicina Responsável (Physicians Committee for Responsible Medicine – PCRM), respeitada organização norte-americana.

     

    Penso, logo… não durmo
    Direção: Luara Lux, Brasil/ PR, 2014, 12 min

    Sinopse: É difícil dormir imersa em tanta tranquilidade.

     

    Peaceble Kingdom: jornada rumo ao lar (Peaceble Kingdom: the journey home)
    Direção: Jenny Stein, EUA/ 2012, 78 min)

    Sinopse: Abra seus olhos. Confie em seu coração. Faça a jornada. Cinco fazendeiros, uma oficial de proteção animal, um protetor e uma vaca chamada Snickers farão você rir, chorar , expandir sua consciência e desafiar o que você pensa sobre a pecuária. O premiado documentário é uma história fascinante de transformação e cura. Ele explora como várias pessoas do meio rural experienciaram uma batalha com a própria consciência na medida em que questionaram pressupostos básicos do meio de vida que herdaram. Tem sido descrito como “uma experiência transformadora” pelo público.

     

    →  09 de agosto (domingo), 19h


    Um pedido de desculpas aos elefantes (An Apology to Elephants)
    Direção: Amy Schatz, EUA, 2013, 40 min

    Sinopse: Narrado por Lily Tomlin e dirigido pela ganhadora do EMMY Amy Schatz, “Um pedido de desculpas aos elefantes” conta a problemática história dos elefantes em cativeiro. Um chamado para a compaixão e melhor tratamento, o filme é também uma súplica para que salvemos o que sobrou na Natureza de nosso mundo.

     

    Lolita – escrava pelo entretenimento (Lolita – Slave to entertainment)
    Direção: Tim Gorski, EUA, 2013, 56 min

    Sinopse: segredos obscuros da indústria multi-bilionária dos aquários, questionando a ética humana no relacionamento com animais para
    entretenimento. Retrata a comovente história de Lolita, uma baleia assassina mantida em exposição no Aquário Marinho de Miami, Flórida, por mais de 40 anos.

     

    →  11 de agosto (terça), 19h

    A história de uma mãe (Die Geschichte einer mutter)
    Direção: Adrian Marmy, Suíça, 2014, 4 min

    Sinopse: Um curta que conta a história trágica da vida de uma mãe.

     

    Os papagaios selvagens de Telegraph Hill (The Wild parrots of Telegraph Hill)
    Direção: Judy Irving, EUA, 2003, 83 min

    Sinopse: “Os Papagaios Selvagens de Telegraph Hill” é a verdadeira história de um boêmio de São Francisco e seu notável relacionamento com um bando de papagaios selvagens verdes e vermelhos. Mark Bittner, um músico de rua sem-teto em San Francisco, se encontra com o bando enquanto ele procura um sentido para a sua vida, sem saber que os papagaios selvagens vão lhe trazer tudo o que ele precisa.

     

    →  12 de agosto (quarta), 19h

    A.l.F.(A.L.F.)
    Direção: Jérôme Lescure, França, 2013, 96 min

    Sinopse: 26 de dezembro … Olivier Chartier, um policial francês, tem que descobrir o que aconteceu na véspera do Natal: Franck, um professor de teatro insignificante, foi colocado em prisão preventiva… Este homem, como suspeita Chartier, é membro de um grupo sem líder: a Frente de Libertação Animal…
    Estas pessoas voluntariamente optam por quebrar a lei para salvar os animais, impulsionadas por sua empatia em relação a esses seres vivos torturados. Para eles, quando a linha da razão é cruzada, você tem que esquecer o que é legal para fazer o que parece ético.

    Detalhes

    Saiba mais