Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Filtrar por data

Como Chegar

Praça Ruy Barbosa, 104 | Centro
Belo Horizonte | MG | 30.160-000
Telefone: (31) 3222-6457
contato@centoequatro.org

Funcionamento:
Café 104, Cine 104 e espaços multiuso: consulte a programação

Acesso para deficientes

Detalhes

Agenda

30 abr 06 mai

[último dia] Branco Sai, Preto Fica

Direção: Adirley Queirós | Brasil | DF, 2014, 90 min| Classificação indicativa: 12 anos

* Prêmio de Melhor Filme, ator e direção de arte no 47º Festival de Brasília; Melhor Filme no Festival Mar Del Plata; Menção Honrosa na 17ª Mostra de Cinema de Tiradentes e Seleção oficial dos festivais de Hamburgo, Vienna, Torino e Doc Lisboa, dentre outros.

Sinopse – Tiros em um baile black na periferia de Brasília ferem dois homens. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.

→ De 30 de abril a 06 de maio de 2015
Horário: 19 horas (exceto segunda 04/05 )
Entrada R$ 10 / R$ 5 (meia entrada)

Mais informações sobre o filme: Grande vencedor do Festival de Brasília em 2014, “Branco Sai, Preto Fica”, longa de Adirley Queirós, recebeu o prêmio de Melhor Filme de longa metragem dado pelo júri oficial do Festival, além de outras dez premiações, entre elas, Melhor Ator, Melhor Direção de Arte e Melhor Montagem. Internacionalmente, o filme foi exibido no Festival de Mar del Plata, de onde saiu com o prêmio de Melhor Filme, Festival de Vienna, Hamburgo entre outros. O longa narra uma violenta ação policial em um baile black, discute racismo e exclusão na periferia de Brasília.

Sobre o diretor: Adirley Queirós é diretor de cinema e roteirista. Dos 16 aos 25 anos foi jogador de futebol profissional. Afastado da carreira, retornou os estudos. Aos 28 anos ingressou na Universidade de Brasília (UnB), onde graduou-se em Cinema em 2005, já com 35 anos. Desde então, tem uma atuação cultural constante, principalmente junto à periferia do Distrito Federal, mais especificamente na cidade de Ceilândia/DF. Durante este tempo realizou filmes, foi curador de mostras de cinema, jurado de festivais e realizador de encontros para formação na área de cinema.

Em 2005, realizou o filme RAP O CANTO DA CEILÂNDIA, documentário curta-metragem que ganhou treze prêmios no Brasil. Em 2009, foi diretor, roteirista e produtor executivo dos filmes DIAS DE GREVE (ficção, 35mm, 24 min) e do filme FORA DE CAMPO (documentário para TV, 52 min, vídeo digital).

Em 2010, foi diretor, roteirista e produtor executivo do premiado A CIDADE É UMA SÓ?, ganhador de vários festivais no Brasil, inclusive a Mostra de Cinema de Tiradentes, tendo participado de alguns festivais internacionais, dentre eles WORD CINEMA AMSTERDAM, Brazilian Hollywood Festival – Los Angeles, BAFICI – argentina.

 

Detalhes

Vá de ônibus, táxi, bicicleta ou metrô | Próximo a Estação Central de metrô

Detalhes