Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Categorias

  • Nenhuma categoria

Blog

14 jul

Mostra Pierre Coulibeuf

O Demônio da Passagem

De Pierre Klossowski a Jean-Fabre, passando por Michel Butor, Marina Abramovic, Jean-Luc Moulène ou Jean-Marc Bustamante, Pierre Coulibeuf  constrói um diálogo singular com grandes figuras da arte contemporânea, em busca de formas inéditas.
Numa relação transversa com gêneros cinematográficos, seus filmes inventam uma linguagem na fronteira das disciplinas artísticas, criticando as formas estabelecidas e os modos de representação da realidade.
Selecionados e premiados em muitos festivais internacionais de cinema ( documentários, ficção, experimental ) seus filmes são também expostos no circuito de arte contemporânea.


Documentário

Balkan Barroco (63`)
Autobiografia ao mesmo tempo real e imaginário de Marina Abramovic, artista de arte corporal.

Isto é Arte (73`)
O olhar singular, frenquentemente intempestivo, de artistas contemporâneos a respeito de obras importantes da história da arte. O verdadeiro assunto do filme: o que ver?

Klossowski, Pintor-Exorcista (25`)
Ficção em três episódios sugerindo o universo demoníaco do escritor e artista Pierre Klossowski.

Lost Paradise (33`)
Percurso mental a partir da obra do artista Jean-Marc Bustamante, mais particulamente “La maison close” (2001). Três lugares. Três situações com personagens.

Michel Butor Mobile (61`)
Pierre Coulibeuf tenta reconstituir uma visita na casa de Michel Butor, “À l´écart”. Ele consegue assim um filme sintomático do voluntarismo do escritor em se situar nas fronteiras.
Alguns indícios nos guiam: um livro A Modificação; um grupo O Nouveau Roman; uma viagem pela América; uma fronteira. Através das diferentes temáticas exploradas percebemos sua escritura singular, assim como a forma fragmentada e diversificada de sua obra.

O Demônio da Passagem (14`)
Reconstituição “fictícia” da cadeia de imagens mentais que fazem surgir as visões do fotógrafo Jean-Luc Moulène.

Os Guerreiros da Beleza (71`)
A partir de uma recriação especial do coreógrafo holandês Jan Fabre. Filme-labirinto, animado pela mertamofose, o jogo de pulsões, a paródia,  o surreal.

Deixe um comentário