Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Categorias

  • Nenhuma categoria

Blog

29 mar

Trabalho artístico irá ocupar traseiras dos ônibus da cidade

Subindo a Rua da Bahia, em Belo Horizonte, duas esquinas depois da Biblioteca Pública, tem um semáforo. Praticamente todos os cruzamentos da Rua da Bahia tem um semáforo, mas o dessa esquina tem um pequeno quebrado no vidro da luz verde. Um micro-furo quadrado no vidro, que cria um ponto amarelo na luz verde.

Há uma bica de água pura, ao lado da estação de metrô do bairro Horto, que derrama água invariavelmente. Tem gente que bebe, outros a usam para lavar ou para refrescar-se num dia de calor.

As histórias e poesias da cidade estão em suas esquinas. Ninguém melhor para contá-las do que seus moradores. Esta é a proposta do projeto Travessão – Coletivos em conversa: promover uma conversa entre a cidade e seus habitantes utilizando as traseiras dos ônibus como suporte. Por meio de fotos, desenhos, pintura, texto ou outras formas de expressão, o projeto irá ocupar estes espaços normalmente destinados à publicidade.

“Convidamos pessoas interessadas em viver a cidade como espaço de expressão e troca, para criarmos juntos essas linhas de conversa”, diz Elisa Marques, que idealizou o projeto junto de Nian Pissolati. O trabalho, que teve sua primeira edição em 2010, mantém como eixo em 2012, a discussão de temas como cidadania, ocupação do espaço público e memória coletiva.

Os interessados podem participar do projeto através das Oficinas de Criação Coletiva ou do Prêmio Travessão. As oficinas acontecem de maio a julho, com duas turmas que serão criadas nos Centros Culturais Padre Eustáquio e Pampulha. Com encontros semanais, os participantes devem criar peças gráficas que irão circular na traseira do ônibus 4410 – linha que liga os dois centros culturais. A participação é gratuita e o único requisito é ser maior de 16 anos.

O Prêmio Travessão, irá selecionar quatro propostas de criação artística para ocupação desses espaços do ônibus. Os projetos serão selecionados através de um edital e receberão, cada um, um prêmio no valor de R$1.000,00. A idade mínima do proponente deve ser 18 anos.

“Nossa ideia é que as pessoas interajam com bairros da cidade que normalmente não freqüentem, e que desse encontro surjam trabalhos artísticos que iremos colar nas traseiras de ônibus”, ressalta Pissolati.

As inscrições para as oficinas e para o prêmio estão abertas até 28 de abril e devem ser feitas em um dos 15 centros culturais da Prefeitura, que ficam abertos de terça-feira a sábado.

Para acessar o edital completo, formulários de inscrição e ver registros da primeira edição do projeto Travessão, acesse www.travessao.net.

Detalhes

Deixe um comentário