Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Filtrar por data

Como Chegar

Praça Ruy Barbosa, 104 | Centro
Belo Horizonte | MG | 30.160-000
Telefone: (31) 3222-6457
contato@centoequatro.org

Funcionamento:
Café 104, Cine 104 e espaços multiuso: consulte a programação

Acesso para deficientes

Detalhes

Agenda

12 set 14 set

Mostra Mademoiselle [ Homenagem a Jeanne Moreau ]

A Mostra Mademoiselle é uma singela homenagem a Jeanne Moreau que faleceu no dia 31 de julho, aos 89 anos, deixando como legado uma carreira repleta de sucessos no cinema e no teatro em mais de sete décadas dedicadas à arte e à cultura.  A mostra integra a programação do Cine 104 e fica em cartaz nos dias 13 e 14 de setembro. Na programação o público poderá assistir aos filmes.

A programação da mostra tem entrada gratuita, com retirada de ingressos uma hora antes da sessão.

→ 12 de setembro (Abertura)
19h30 Mulher para Dois
(Jules et Jim, França, 1962, 102 min)
Direção: François Truffaut
Classificação: 16 anos

→ 13 de setembro
16h40 Mulher para Dois
(Jules et Jim, França, 1962, 102 min)
Direção: François Truffaut
Classificação: 16 anos

19h00 Ascensor para o Cadafalso
(Ascenseur pour l’échafaud, França, 1957,90 min)
Direção: Louis Malle
Classificação: 14 anos

20h40 Cidadão Klein
(Monsieur Klein, França, 1976, 123 min)
Direção: Joseph Losey
Classificação: 18 anos

→ 14 de setembro
16h40 Corações Loucos
(Les Valseuses, França, 1974, 113 min)
Direção: Bertrand Blier
Classificação: 18 anos

19h00 A Baía dos Anjos
(La Baie des Anges, França, 1962, 89 min)
Direção: Jacques Demy
Classificação: 14 anos

20h40 Mulher para Dois
(Jules et Jim, França, 1962, 102 min)
Direção: François Truffaut
Classificação: 16 anos

 


Sobre Jeanne Moreau

Jeanne Moreau nasceu em Paris (França), no ano de 1928. Durante a Segunda Guerra Mundial, refugiou-se nos livros. Era uma aluna aplicada, no entanto, mesmo censurada pelo pai que a proibia de frequentar cinemas e teatros, ela diversas vezes trocou as cadeiras das salas de aula pelas dos teatros. Foi nessa época, que a jovem Jeanne assistindo a performance de Jean Anouilh na peça Antigone, desperta para o desejo de também atuar. Talvez o que ela não soubesse naquele momento é que viria a ser uma das atrizes mais consagradas de toda a França.

Jeanne Moreau estudou teatro por um ano no Conservatório Nacional de Arte Dramática, posteriormente em 1947, estreou na Comédie Française, onde permaneceu até o ano de 1952. Depois passou a atuar no Teatro Nacional Populaire, já considerada uma atriz de prestígio. Brilhando nos palcos, logo vieram os convites para estrear no cinema, o que se deu no ano de 1953 no filme Julietta do diretor Marc Allégret. Contudo, o grande salto na carreira de Moreau ocorreu com o filme La Reine Margot (1954), seu primeiro papel de destaque no cinema.

Em 1957, Louis Malle a dirigiu em Ascenseur pour L’Échafaud e, mais uma vez provando ser uma atriz talentosa, é novamente convidada por Malle para estar em seu próximo filme Les Amants, vencedor do prêmio especial do Festival de Veneza de 1958. Moreau começava a ter seu nome impresso na história do cinema, no qual ficou conhecida por dar vida a mulheres fortes e de grande personalidade, motivo pelo qual grande parte de seus filmes foram censurados.

Após um período sabático, Jeanne Moreau é convidada por François Truffaut para estrelar Jules et Jim (1962), um marco na carreira de ambos. O filme realizado no momento de encontro pessoal e amoroso entre a atriz e o diretor, resultou num absoluto sucesso de crítica e público, sendo aclamado com vários prêmios. Com uma extensa carreira no cinema, Jeanne trabalhou com diretores de renome como, Louis Malle, François Truffaut, Michelangelo Antonioni, Orson Welles, Luis Buñuel, François Ozon, entre outros.

Nos anos de 1970 a atriz desembarcou no Brasil para atuar no longa-mentragem de Cacá Diegues, Joanna Francesa de 1973, coprodução Brasil/França, com locações no nordeste brasileiro.

Detalhes

Vá de ônibus, táxi, bicicleta ou metrô | Próximo a Estação Central de metrô

Detalhes