Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Categorias

  • Nenhuma categoria

Blog

  • 18 out

    Mostra CineBH no centoequatro

    Entre os dias 21 e 27 de outubro, o Cine 104 recebe programação da 10ª edição da Mostra CineBH 2016.

    A Mostra CineBH celebra, em 2016, uma década de história. Ao longo de oito dias de programação, a 10ª CineBH acontece em seis espaços públicos da cidade – Fundação Clóvis Salgado, MIS Cine Santa Tereza, Cine 104, Sesc Palladium, Teatro Sesiminas, Museu de Artes e Ofícios – e apresenta uma seleção de filmes nacionais e internacionais, em pré-estreias e retrospectivas, mostras temáticas. A entrada é gratuita, com distribuição de ingressos uma hora antes das sessões.

    Confira abaixo a programação que ocupa a sala de cinema do centoequatro ou faça o download da grade completa de horários.

    [ 21 de outubro, sexta-feira ]
    19h30 – Comboio de Sal e Açúcar
    21h00 – Mostra de Curtas – série 2

    [ 22 de outubro, sábado ]
    19h – Mostra de Curtas – série 3
    20h30 – Certas Mulheres

    [ 23 de outubro, domingo ]
    17h30 – O Rio do Ouro
    19h30 – Se Eu Fosse Ladrão… Roubava

    [ 24 de outubro, segunda-feira ]
    O Cine 104 não tem sessões nas segundas-feiras

    [ 25 de outubro, terça-feira ]
    16h00 – Roda de Conversa – A Cidade em Movimento // Tema: Densidade (Desenho e Preenchimento da Cidade)
    18h00 – Médias – Mostra ‘A Cidade em Movimento’ // Roda de Conversa + O Som que Vem das Ruas
    19h30 – Mostra de Curtas – série 4
    21h00 – Mostra de Curtas – série 5

    [ 26 de outubro, quarta-feira ]
    16h00 – Roda de Conversa – A Cidade em Movimento // Tema: Intensidade e Diversidade (Quem Movimenta a Cidade?)
    18h00 – Curtas – Mostra A Cidade em Movimento
    19h30 – A Rua da Amargura

    [ 27 de outubro, quinta-feira ]
    16h00 – Roda de Conversa – A Cidade em Movimento // Tema: Sincronicidade (O Futuro das Cidades)
    18h00 – Viejo Calavera
    19h30 – Memórias de Izidora

    Mais informaçõeswww.cinebh.com.br 

    Detalhes

    Leia mais
  • 21 set

    Pela primeira vez em BH, mostra “OLHO – vídeo art cinema” ocupa o Cine 104 em outubro

    Mostra – que passa também por São Paulo e Rio de Janeiro – realiza sua primeira edição em BH em parceria com o Cine 104. A programação é gratuita.

    [ Exland, Mihai Grecu and Thibault Gleize, video, 2013 ]

    Entre os dias 6 e 8 de outubro, Belo Horizonte recebe pela primeira vez a mostra OLHO – vídeo art cinema,  realizada na capital mineira em parceria com o Cine 104 (Praça Ruy Barbosa, 104, Centro). Fundado em 2014 por Alessandra Bergamaschi e Vanina Saracin, Olho é um projeto curatorial que nasce com o objetivo de pesquisar e explorar as relações existentes entre a produção contemporânea de obras de arte em vídeo e o cinema. Os filmes selecionados para esta edição da mostra – que também será realizada em São Paulo e Rio de Janeiro e traz como tema “Território não mapeado” – dialogam com dois gêneros aparentemente distantes: o documentário etnográfico e a ficção científica. A entrada é gratuita, com distribuição de ingressos 30 minutos antes das sessões.

    A partir de premissas opostas, ambos os gêneros buscam o acesso a perspectivas e modos de existência. “Na Antropologia visual, as estratégias fílmicas e narrativas são direcionadas ao confronto visceral com a realidade, desestabilizando a posição histórica privilegiada do homem ocidental, e, em alguns casos, do próprio homem, na representação do mundo. Por outro lado, ao engendrar uma relação com a ficção científica, os artistas se aproximam do artifício literário – posteriormente, cinematográfico – de ‘criar mundos’ a partir da construção de ficções críveis, que, confessando a invenção, se tornam plataforma de suporte para as condições de verdade da narração”, explica a organização da mostra.

    Sobre a Mostra OLHO
    Fundado em 2014 por Alessandra Bergamaschi e Vanina Saracino, OLHO é um projeto curatorial que nasce com o objetivo de pesquisar e explorar as relações existentes entre a produção contemporânea de obras de arte em vídeo e o cinema. A premissa inicial, que ainda direciona sua pesquisa, é a forma como a arquitetura de um espaço imersivo pode contextualizar, influenciar e até mesmo redefinir a experiência do espectador com uma obra de arte, especialmente no que tange a percepção de obras baseadas no tempo e de imagens em movimento. Tem como objetivo pesquisar, analisar e reunir em sequências cuidadosamente curadas obras de arte em vídeo que estejam repensando a linguagem do Cinema, para que sejam exibidas em suas telas. Essa experiência visual envolvente é o ponto de partida para a realização de conferências, palestras e publicações que visem a construção de um diálogo interdisciplinar, com a contribuição de profissionais de várias áreas.

    Mostra “OLHO – vídeo art cinema” no Cine 104

    de 6 a 8 de outubro, no Cine 104 (Praça Ruy Barbosa, 104, Centro)

    PROGRAMAÇÃO
    06 de outubro, quinta-feira, às 20h / Programa 1: A Solidão do Criador [ 48 min ] *
    06 de outubro, quinta-feira, às 21h / Programa 2: Impérios Vulneráveis [ 55 min ] *
    07 de outubro, sexta-feira, às 20h / Programa 3: Viagem ao Centro da Terra [ 48 min ]
    07 de outubro, sexta-feira, às 21h / Programa 4: Terra Brasilis [ 50 min ]
    08 de outubro, sábado, às 20h / Programa 5: Ação lenta [ 45 min ]
    08 de outubro, sábado, às 21h / [REPRISE] Impérios Vulneráveis [ 55 min ]

    * sessões comentadas pelas curadoras Alessandra Bergamaschi e Vanina Saracino

    entrada gratuita, com distribuição de ingressos meia hora antes das sessões

    classificação indicativa: 14 anos

    Site oficial da mostra: http://www.olho.ooo

    Detalhes

    Leia mais
  • 02 set

    [estreia] Aquarius

    Aquarius

    * seleção oficial Festival de Cannes 2016

    Direção – Kleber Mendonça Filho
    Brasil/ PE, 2016, 141 min

    →01 a 07 de Setembro, exceto dias 03 e 05 (sábado e segunda-feira)
    Horários: 17h e 19h30
    Entrada R$ 12 / R$ 6 (meia entrada)

    Classificação indicativa – 18 anos

    Com Sonia Braga, Maeve Jinkings, Irandhir Santos, Humberto Carrão, Carla Ribas.

    Sinopse – Clara (Sonia Braga) mora de frente para o mar no Aquarius, último prédio de estilo antigo da Av. Boa Viagem, no Recife. Jornalista aposentada e escritora, viúva com três filhos adultos e dona de um aconchegante apartamento repleto de discos e livros, ela irá enfrentar as investidas de uma construtora que tem outros planos para aquele terreno: demolir o Aquarius e dar lugar a um novo empreendimento.

    Info filme

    Aquarius, segundo longa-metragem de ficção de Kleber Mendonça Filho, teve sua estreia mundial na França, como parte da seleção oficial competitiva do festival de Cannes e ganhou o prêmio de melhor filme no Festival de Cinema de Sydney. O longa também participou do Festival de Karlovy Vary (república Tcheca), do Festival Internacional de Cinema da Nova Zelândia, e do Festival Internacional de Cinema de Melbourne; e em agosto, estará no Festiva de Sarajevo, na Bosnia.

    No filme, conhecemos a história de Clara (Sonia Braga), uma escritora e jornalista aposentada, moradora do edifício Aquarius, último de estilo antigo na beira mar do bairro de Boa Viagem, no Recife. Dona de um apartamento repleto de discos e livros, ela precisa lidar com as investidas de uma construtora que pretende demolir o Aquarius e dar lugar a um novo empreendimento. Também estão no elenco Maeve Jinkings (O Som ao Redor), Irandhir Santos (O Som ao Redor), Humberto Carrão, Zoraide Coleto, Carla Ribas (A Casa de Alice), Paula de Renor, Fernando Teixeira (Baixio das Bestas), Barbara Colen, Daniel Porpino, Julia Bernat (Aspirantes), Pedro Queiroz, entre outros.

    Sônia Braga

    A atriz Sonia Braga é um ícone do Cinema. Teve seu primeiro sucesso internacional com Dona Flor e Seus Dois Maridos (Bruno Barreto, 1976), que vendeu mais de 11 milhões de ingressos no país, um recorde histórico. Sucessos equivalentes na televisão com as novelas Gabriela (1975) e Dancing’ Days (1978) confirmaram sua popularidade fenomenal, seguida de outros sucessos de bilheteria com seu nome no topo das marquises dos cinemas em A Dama do Lotação (Neville D’Almeida, 1978) e Eu Te Amo (Arnaldo Jabor, 1981). Teve participação marcante no vencedor do Oscar O Beijo da Mulher Aranha (1984, Hector Babenco) e participou de filmes em Hollywood como Luar Sobre Parador (Moon Over Parador, 1988, de Paul Mazursky) e Rebelião em Milagro (The Millagro Beanfield War, de Robert Redford, 1988). Sonia Braga foi indicada para três Globos de Ouro e um prêmio Emmy. Seus trabalhos mais recentes na televisão incluem Sex and the City, Alias, American Family e a série da Netflix Luke Page. Moradora de Nova York há 25 anos, a estatura de Sonia Braga como A Estrela Brasileira de Cinema por excelência permanece intacta como um nome e uma presença na tela que são inconfundíveis.

    Kleber Mendonça Filho

    Kleber Mendonça Filho nasceu no Recife, em 1968. Formado em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, tem um trabalho abrangente como crítico e responsável pelo setor de cinema da Fundação Joaquim Nabuco já há 18 anos. Escreveu para o Jornal do Commercio, no Recife, seu site CinemaScópio, Revistas Continente, Cinética e o jornal Folha de S. Paulo. É também diretor artístico do Janela Internacional de Cinema do Recife, que terá sua 9a. edição em novembro 2016. Como realizador, migrou do vídeo nos anos 90, quando experimentou com ficção, documentário e videoclipes para o digital e o 35mm na década de 2000, realizando a filmografia em curta metragem mais premiada do Brasil, com filmes como A Menina do Algodão (co-dirigido por Daniel Bandeira, 2003), Vinil Verde (2004), Eletrodoméstica (2005), Noite de Sexta Manhã de Sábado (2006), Crítico (2008) e Recife Frio (2009). Seu último curta metragem é A Copa do Mundo no Recife (2015), feito sob encomenda para a casa de Cinema de Porto Alegre e o canal Sport TV. Seus filmes receberam mais de 120 prêmios no Brasil e no exterior, com seleções em festivais como Brasília, Tiradentes, Festival do Rio, Gramado, Karlovy-Vary, Clermont-Ferrand, Hamburgo, BAFICI, Indie Lisboa e Cannes (Quinzena dos Realizadores). Os festivais de Santa Maria da Feira, Toulouse e Roterdã já apresentaram retrospectivas dos seus filmes. Sua primeira experiência no longa metragem é o documentário Crítico (2008), realizado ao longo de nove anos. O Som ao Redor (2012) foi seu primeiro longa-metragem de ficção, exibido em mais de 100 festivais internacionais, lançado comercialmente em 14 países, o filme foi o representante brasileiro no Oscar 2014 e considerado “Um dos 10 Melhores Filmes do ano” pelo jornal The New York Times. O Som ao Redor foi visto por 100 mil espectadores no seu lançamento nos cinemas brasileiros.

    Filmografia selecionada:

    Enjaulado (1997, Betacam, 33’)
    A Menina do Algodão(2003, Mini DV / 35mm, 6’)
    Vinil Verde (2004, stills / 35mm, 16’)
    Eletrodoméstica (2005, 35mm, 22’)
    Noite de Sexta, Manhã de Sábado (2006, Mini DV / 35mm, 14’)
    Crítico (2008, Mini DV / 35mm, documentary, 75’)
    Luz Industrial Mágica (2009, HD, 10’)
    Recife Frio (2010, HD / 35mm, 25’)
    O Som ao Redor (35mm, 131’)
    A Copa do Mundo no Recife (HD, 14’)

    Entrevistas com o diretor

    http://revistadecinema.uol.com.br/2016/07/a-consagracao-de-kleber-mendonca/

    https://theintercept.com/2016/08/11/kleber-mendonca-filho-fala-sobre-onda-reacionaria-contra-aquarius-apos-sua-manifestacao-em-cannes/

    http://istoe.com.br/ministerio-censura- filme-de- kleber-mendonca- filho-para-menores-de-18/

    http://bemblogado.com.br/site/kleber-mendonca-filho-fala-sobre-onda-reacionaria-contra-aquarius-apos-sua-manifestacao-em-cannes/

    http://www.adorocinema.com/noticias/filmes/noticia-121715/

    Detalhes

    Leia mais
  • 02 dez

    Startup Weekend BH

    Startup Weekend BH

    O maior evento de Startups do mundo voltou a Belo Horizonte.

    O SW BH vai acontecer nos dias 04/12, 05/12 e 06/12 no Espaço CentoeQuatro, no centro de BH.
    O objetivo do Startup Weekend é colocar em contato e formar equipes de profissionais distintos, mas com uma ideia em comum: A busca pela inovação.
    Empreendedores, desenvolvedores, designers e entusiastas são todos bem vindos a uma jornada de 54 horas para colocar sua ideia inovadora de negócio no ar e, quem sabe, ser escolhida pela comissão julgadora a grande campeã do evento.
    Para isso, eles terão o apoio de uma equipe de mentores, formada por profissionais e especialistas em cada área fundamental para o desenvolvimento de uma Startup.
    Acha que tem o que é necessário?

    Inscreva-se: https://www.sympla.com.br/startup-weekend-belo-horizonte—dezembro-2015__47141

    Programação: http://belo-horizonte.up.co/events/7554

    Detalhes

    Leia mais
  • 28 out

    [em cartaz] Jauja

    [2ª semana] Jauja

    Prêmio da Crítica na Mostra Un Certain Regard, no Festival de Cannes

    Direção: Lisandro Alonso | Argentina, 2014, 108 min

    Sinopse: Os povos antigos diziam que Jauja era uma terra mitológica cheia de abundância e felicidade. Muitas expedições tentaram encontrar o lugar para comprovar a lenda. A única certeza que se tem é que todos os que tentaram encontrar este paraíso na terra se perderam pelo caminho.

    → de 29 de outubro a 04 de novembro
    (exceto 2ª, dia 02 de novembro)
    Horário: 19h
    Entrada R$ 10 / R$ 5 (meia entrada)
    Classificação indicativa: 16 anos

     

    Sobre o diretor
    Lisandro Alonso é argentino, nascido em 1975. Diretor, roteirista e produtor, estudou na Universidad de Cinema (FUC). Em 2001, ele fez sua estreia na direção com o longa-metragem La libertad, apresentado no 54º Festival de Cannes em Un Certain Regard. Em 2003 ele fundou em Buenos Aires o 4L, sua própria empresa de produção. Em 2004 e em 2006 ele voltou a Cannes. Com Los Muertos foi contemplado com inúmeros prêmios internacionais, incluindo o Prêmio CinemAvvenire e o prêmio Città di Torino no 22º Torino Film Festival e com Fantasma, ambos apresentados na Quinzaine des Réalisateurs. Jauja ganhou o Prêmio da Critica na Mostra Un Certain Regard no Festival de Cannes, em 2014.

    Leia mais
  • 28 out

    [CineQuintal no 104] Retratos de Identificação

    [CineQuintal no 104] Retratos de Identificação

    Direção: Anita Leandro | Brasil/ RJ, 2014, 71 min

    Sessão comentada pelo crítico Victor Guimarães

    Sinopse: Dois ex-guerrilheiros que lutaram contra a ditadura militar no Brasil se deparam, pela primeira vez, com fotografias tiradas pela polícia no momento de suas respectivas prisões. O passado retorna, com uma história de crimes que ainda não foram julgados.

    → Terça-feira, 03 de novembro
    Horário: 21h
    Classificação indicativa: 12 anos
    Entrada gratuita, com distribuição de ingressos meia hora antes da sessão

    Leia mais
  • 28 out

    [Café104 apresenta] Gabriel Gontijo

    [Café104 apresenta] Gabriel Gontijo

    Gabriel Gontijo apresenta seu trabalho no Café104

    Mais uma vez, o Café104 ( Praça Rui Barbosa, 104 – Centro ) recebe um representante da nova safra de artistas mineiros. Desta vez, quem se apresenta é o cantor e compositor Gabriel GontijoO show acontece no sábado, 31 de outubro, a partir das 22h.
    O ingresso custa R$20,00
    .
    Maiores informações: 31 3222.6457

    Natural de Patos de Minas, Gabriel Gontijo teve o incentivo do pai desde menino e tomou a música como sua paixão. Logo cedo, aos 11 anos, ganhou seu primeiro violão e este foi o primeiro passo para abraçar a carreira.

    Mais tarde, no ano em que passou fora do Brasil,  aprendeu a mixar os sons da sua infância e apurar o seu gosto musical. Ícones como John Mayer, Jack Johnson, Matt Wertz, Corinne, Coldplay, The Strokes, Maria Gadú, Lulu Santos e Charlie Brown Jr são sua inspiração.

    Com a marca jovial dos que seguem seus sonhos e procuram criar uma visão própria do mundo, Gabriel lançou, em novembro passado, o álbum Desconexo. Em suas letras, o artista – que percorreu o Brasil em 2015, divulgando este trabalho – mantém o equilíbrio entre o simples e o profundo, relatando paixões, amizades, experiências e desilusões. De forma irreverente e desconexa, Gabriel encontrou sua forma de cantar a vida e é isso que o músico vai mostrar no show do Café104.

     

     

    Site: Gabriel GontijoMúsicas: https://soundcloud.com/gabrielgontijo Youtube: https://www.youtube.com/gabrielgontijoo

    SERVIÇO

    Gabriel Gontijo no Café104
    Sábado, dia 31 de outubro, às 22h
    Abertura da casa: 21h
    Ingressos a  R$ 20,00
    Maiores informações: 31 3222.6457

    Estacionamento conveniado – Park Box
    (Av. Santos Dumont, 218, Centro -
    R$ 5,00 – preço único)

    Café104
    Praça Ruy Barbosa, 104 – Centro – BH
    Tel. (31) 3222.6457

    Leia mais
  • 19 out

    [em cartaz] Que Horas ela Volta?

    [7ª semana] Que Horas ela Volta?

    Um retrato do Brasil dividido.
    As relações de poder e afeto entre patrões x empregados
    Novo longa de Anna Muylaert discute
    o velho e o novo Brasil
    através das figuras da empregada obediente
    e de sua filha libertária.

    Prêmio de Público no Festival de Berlim
    Prêmio de Atriz para Regina Casé no Festival de Sundance

    Direção: Anna Muylaert | Brasil/SP, 2015, 110 min

    Com Regina Casé, Camila Márdila, Michel Joelsas, Karine Teles e Lourenço Mutarelli

    Sinopse: Val é uma nordestina que deixa sua filha aos cuidados de parentes em Pernambuco para trabalhar como babá numa família de classe alta em São Paulo. Treze anos mais tarde, ela tornou-se uma segunda mãe para o menino Fabinho. A ação do filme começa quando Jéssica, sua filha adolescente vai para São Paulo prestar vestibular. Sua personalidade forte mexe na hierarquia social da família e consequentemente questiona a rigidez dos papéis sociais vigentes.

    → de 22 a 28 de outubro de 2015
    (exceto 5ª e 2ª, dias 22 e 26 de outubro)
    Horário: 17h
    Entrada R$ 10 / R$ 5 (meia entrada)
    Classificação indicativa: 14 anos

    SOBRE O FILME

    Produzido pela Gullane em associação com Africa Filmes e coprodução Globo Filmes, o drama que já foi vendido para 22 países da Europa, Ásia e Oceania e tem estreia no Brasil marcada para dia 27 de agosto, com distribuição da Pandora Filmes “Esse filme pode ser visto como social, mas não é só isso. Minha abordagem não é julgar os personagens e suas ações, mas sim mostrar a verdade de maneira crua.” declara a diretora Anna Muylaert.

    Que horas ela volta? apresenta diversas questões do Brasil contemporâneo através de uma história de amor materno. A ação se passa quase que totalmente dentro de uma casa de classe média alta do bairro do Morumbi em São Paulo. Ali reproduz-se não apenas a arquitetura, mas também os costumes sociais e o jogo de afetos desenhados para nós desde o período Colonial. Val, a antiga empregada que ajudou a criar Fabinho, o filho único do casal é tratada como se fosse quase da família. Mas quando sua filha Jéssica vem a São Paulo prestar vestibular e instala-se no meio da casa, as regras sociais até então invisíveis tornam-se visíveis e os velhos costumes são desequilibrados. Fica claro que ali não ha espaço para a filha da empregada. Só que não.

    SOBRE A DIRETORA

    Diretora e roteirista, Anna Muylaert nasceu em São Paulo, em 1964. Estudou cinema na Eca / USP. Foi crítica de cinema da revista IstoÉ e do jornal O Estado de São Paulo. Dirigiu os longas “Durval Discos”, 2001 (Melhor filme, de júri, publico e crítica no Festival de Gramado em 2002), “É Proibido Fumar”, 2009 (Melhor filme do júri e da crítica Festival de Brasília 2009) e “Chamada a Cobrar” (2011). Colaborou nos roteiros dos longas metragens “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias”, “Xingu”, de Cao Hamburger e “Praia do Futuro”, de Karim Ainouz, entre outros. Na TV participou das equipes de criação dos programas “Mundo da Lua” e “Castelo Rá-Tim-Bum”, na TV Cultura; “Disney Cruj”, no SBT; “Um Menino Muito Maluquinho”, na TV Brasil. Já na HBO, participou dos roteiros de “Filhos do Carnaval”, “ Alice” e dirigiu 2 episódios de “Preamar”. Fez a direção geral da série “As Canalhas”, no GNT. Em janeiro de 2014 rodou o longa “Que Horas ela Volta?” (Melhor Atriz Festival de Sundance 2015 e prêmio do público da Mostra Panorama/ Berlinale 2015). Em novembro 2014 filmou o longa “Mãe Só Há Uma”, em fase de montagem. É mãe de José e Joaquim.

    CARREIRA INTERNACIONAL

    “Que Horas Ela Volta?” é o filme brasileiro recente com maior carreira internacional. Além de ter sido premiado nos festivais de Sundance e em Berlim, foi vendido para 22 países na Europa, Ásia e Oceania. No último verão europeu já foi lançado em diversos países dentre eles: França, Itália, Espanha, Bélgica, Suíça e Holanda. Na França foi lançado em 24 de junho com mais de 100 cópias em 120 cidades, conquistando um público de 105 mil espectadores em 3 semanas. Na Alemanha será lançado em 52 cidades. Na Itália, foi lançado em 4 de junho em 70 cidades, conquistando um público de 70.000 em 3 semanas. Na Espanha, foi lançado em 24 de junho em 11 cidades, conquistando um público de quase 15.000 no primeiro final de semana.

    FESTIVAIS E PREMIAÇÕES

    Em agosto de 2014 a produção participou do Festival Internacional de Cinema de Locarno na seleção “Carte Blanche”. No Festival de Sundance, que ocorreu entre 22 de janeiro a 01 de fevereiro de 2015, participou da seleção World Competition onde foi aplaudido de pé. O júri concedeu às atrizes Regina Casé e Camila Márdila o prêmio especial do júri de melhor atriz. No Festival de Berlim, em fevereiro de 2015, “Que Horas Ela Volta?” ganhou o prêmio de melhor filme da audiência na Mostra Panorama com um total de 31.200 votos do público, concorrendo com mais de 30 filmes. Também no Festival de Berlim recebeu o prêmio CICAE Art Cinema concedido pela “International Confederation of Art House Cinema”, júri independente do festival. No festival francês 3 Valenciennes o filme ganhou o prêmio de Melhor filme e também melhor atriz para Regina Casé. No festival de Valletta na Ilha de Malta, Anna Muylaert ganhou o prêmio de melhor direção.

    Leia mais
  • 12 out

    [FIF BH] Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte

    FIF BH - Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte
    Em sua segunda edição, FIF BH – Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte conta com exposição internacional, palestras, painéis de discussão e atividades formativas – programação mais intensa de atividades será realizada entre os dias 1º e 9 de outubro.

    Entre os dias 1º e 9 de outubro, a 2ª edição do FIF – Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte transformará a capital mineira em ponto de encontro para discussão e reflexão sobre a imagem fotográfica no Brasil e no mundo. A programação do Festival inclui a exposição internacional “Mundo, Imagem, Mundo” – que ocupa três espaços da cidade entre os dias 1º de outubro e 29 de novembro –, palestras, painéis de discussão, conversas com artistas, lançamento de livros, oficinas e maratona fotográfica.

    Idealizado e coordenado pelos artistas visuais Bruno Vilela e Guilherme Cunha, o FIF-BH é um festival voltado para o universo fotográfico ligado a pesquisas e investigações sobre a imagem na interseção com outros campos do conhecimento. Além de trazer à cidade de Belo Horizonte obras de importantes artistas dos quatro cantos do mundo – a grande exposição internacional reúne cerca de 200 trabalhos produzidos por 36 artistas vindos de 19 países – o FIF 2015 conta com outras quatro linhas de ação voltadas para estímulo do pensamento crítico e reflexões sobre a produção de imagens.

    PROGRAMAÇÃO NO CENTOEQUATRO

    Exposição “MUNDO, IMAGEM, MUNDO”
    Dentre mais de 1450 inscrições, vindas de 48 países dos 5 continentes, o FIF – Festival Internacional de Fotografia selecionou para a sua segunda edição obras de 36 artistas, de 19 nacionalidades de 4 continentes, que irão compor a exposição “Mundo, Imagem, Mundo”.

    →  Período: de 3 de outubro a 08 de novembro.

    Em 2015, a curadoria da Exposição e da convocatória Moving Images – composta pelos coordenadores do Festival Bruno Vilela e Guilherme Cunha, juntamente com Eduardo de Jesus, crítico, ensaísta, membro-diretor da Associação Cultural Videobrasil (SP) e professor da PUC Minas; Patrícia Azevedo, artista e professora da Escola de Belas Artes da UFMG – buscou trabalhos que, além de estabelecer diálogos entre as diversas linguagens e processos de construção da imagem, contribuíssem para a reflexão sobre a produção imagética e suas influências no mundo.

    “Nos trabalhos são investigados os diversos mundos que coexistem, se sobrepõem e se tencionam em diferentes contextos sociais e históricos”, afirma Bruno Vilela. “Os trabalhos selecionados representam diferentes visões de mundo e visões sobre o mundo. A potência de muitas das imagens reside na forma como evidenciam o impacto e até mesmo uma certa fragilidade das estruturas de controle e poder vigentes, dissolvem barreiras ou discutem a apropriação de valores culturais e históricos, levantando questões e reflexões sobre a organização das sociedades – obras em que a poética da imagem converge com o pensamento político, sem serem panfletárias”, afirma Guilherme Cunha.

    Neste ano, a exposição também será composta por 13 trabalhos em vídeo, de artistas de 8 nacionalidades, selecionados através da convocatória Moving Images – obras que, de caráter documental, performático ou cinemático, transitam entre o experimental e o cinematográfico em interseção com a fotografia.

    →  Abertura: 3 de outubro, às 19h
    Visitação: de 4 de outubro a 08 de novembro
    Segunda, das 12h às 17h; de terça a sexta-feira, das 12h às 22h; sábado e domingo, das 16h às 22h

    Ver lista de artistas por espaço 

    LANÇAMENTO DO LIVRO ESPAÇOS COMPARTILHADOS DA IMAGEM
    Caderno de Reflexões Críticas sobre a Fotografia
    No dia 8 de outubro, às 18h00, o café do CentoeQuatro recebe o lançamento de Espaços Compartilhados da Imagens – Caderno de Reflexões Críticas sobre a Fotografia. O livro, publicado pela editora Circuito, será distribuído gratuitamente.

    A publicação, contemplada pelo XIV Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia, parte da pesquisa realizada para a produção do FIF BH 2013 e 2015. Além de trazer imagens das obras selecionadas para a primeira edição do festival, o livro está organizado em torno de textos produzidos por autores convidados, voltados para o entendimento do universo da imagem fotográfica em seus mais diversos aspectos: estéticos, poéticos, políticos, filosóficos, sociais, históricos, dentre outros. Ao todo, a publicação é composta por nove textos escritos por teóricos, críticos, professores e artistas divididos em quatro eixos: “Espaços Compartilhados da Imagem”, “Tecnologia e Visualidade”, “Imagem e Construção de Realidades” e a “Política das Imagens”.

    Autores Convidados: Roland Bleiker (Austrália); Daniel Rubstein (Inglaterra); Ron Burnett (Canadá); Stefanie Baumann (Alemanha); David Levi Strauss (EUA); Eduardo de Jesus (Brasil); Patricia Azevedo (Brasil); Maria Angélica Melendi (Argentina)

    →  Lançamento: 08/10, quinta-feira, às 18h

    FIF UNIVERSIDADE
    Em 2015, o Festival desenvolve também o FIF Universidade, nova ação voltada para produção de conhecimento acadêmico sobre o universo da imagem e que busca promover a reflexão sobre a produção imagética, suas influências no mundo e a forma como impactam as relações humanas.

    Realizada em parceria com o programa de pós-graduação da Escola de Belas Artes da UFMG, essa atividade reunirá em Belo Horizonte 20 pesquisadores, de 3 países, selecionados pelos professores Carlos Henrique Falci, Adolfo Cifuentes, Anna Karina Bartolomeu, Patrícia Azevedo e Eduardo de Jesus. Os selecionados irão integrar cinco painéis de debate que serão realizados entre os dias 05 e 09 de outubro, sempre às 15h, no Café do CentoeQuatro.

    Imagem e Memória
    →  Dia 05.10, segunda-feira, às 15 horas

    Outros Mundos, Outros Imaginários
    →  Dia 06.10, terça-feira, às 15 horas

    Políticas das imagens e as estruturas de poder
    →  Dia 07.10, quarta-feira, às 15 horas

    Educação, imagem e novas formas de produção de conhecimento
    →  Dia 08.10, quinta-feira, às 15 horas

    Painel: Imagem e produção poética
    →  Dia 09.10, sexta-feira, às 15 horas

    PALESTRAS
    Entre os dias 4 e 9 de outubro, o CentoeQuatro recebe, como parte da programação do FIF – Festival Internacional de Fotografia, seis palestras que com objetivo de aproximar inquietações e conceitos sobre o universo da imagem, produzidos por diferentes campos do conhecimento. Para participar do ciclo de palestras foram convidados pensadores, professores, curadores e artistas, que irão apontar questionamentos e propor reflexões sobre a produção imagética, suas influências na construção das diferentes visões de mundo e a forma como impactam as relações humanas.

    A fotografia e o filme como tradução ritual de espaços e tempos de performances sagrada, com Ayson Heráclito
    →  Dia 04.10, domingo, às 17h

    Imagem, mitos e mitologias Políticas, com André Azevedo da Fonseca
    →  Dia 05.10, segunda-feira, às 19h30

    Imagem, arte e Poder, com Tadeu Capistrano
    →  Dia 06.10, terça-feira, às 19h30

    Sobre a fotografia e seus outros: Arquivo, legendas, contextos e veracidade, com Stefanie Baumann
    →  Dia 07.10, quarta-feira, às 19h30

    Mídia e favela, com Ubirajara Carvalho
    →  Dia 08.10, quinta-feira, às 19h30

    Políticas da Visualidade na América Latina , com Jorge Sepulveda
    →  Dia 09.10, sexta-feira, às 19h30

    Mais informações

    CONVERSAS COM ARTISTAS
    Entre os dias 4 e 9 de outubro, a programação do FIF-BH ocupa o café do CentoeQuatro com um pouco de prosa: o espaço receberá artistas que, em um momento descontraído, apresentarão seus trabalhos e participarão de bate-papo com o público. Entre os convidados estão Arnau Blach (04.10, domingo, às 16h), artista espanhol que participa da exposição “Mundo, Imagem, Mundo” e lança no festival seu novo livro Everybody needs good neighbours; Ellen Jacob (05.10, segunda-feira, às 17h), fotógrafa estadunidense que trata da segmentação social em sua série “Substitutas”, que faz parte da exposição do FIF 2015; Dellani Lima (09.10, sexta-feira, às 18h), artista que utiliza inúmeras técnicas com a manipulação digital e a gravação em baixa resolução e fidelidade; Guilherme Maranhão (04.10, domingo, às 15h30), que em sua pesquisa imagética busca alterações no processo de formação das imagens técnicas e subversões; e o cineasta e artista plástico Cao Guimarães (06.10, terça-feira, às 17h30), que lança “Cao”, livro concebido pelo próprio artista, que partiu de uma recolha intensa no seu arquivo fotográfico para construir uma nova leitura do seu trabalho.

    Guilherme Maranhão
    →  Dia 04.10, domingo, às 15h30

    Arnau Blach, lançamento do livro Everybody needs good neighbours
    →  Dia 04.10, domingo, às 16h

    Ellen Jacobs
    →  Dia 05.10, segunda-feira, às 17h

    Randolpho Lamonier
    →  Dia 05.10, segunda-feira, às 18h00

    Cao Guimarães, lançamento do livro “Cao”
    →  Dia 06.10, terça-feira, às 17h30

    Nitro
    →  Dia 07.10, quarta-feira, às 17h30

    Bruno Vilela e Guilherme Cunha (FIF-BH), lançamento do livro “Espaços Compartilhados da Imagens: caderno de reflexões criticas sobre a fotografia”
    →  Dia 08.10, 
    quinta-feira, às 18h00

    Leo Costa Braga
    →  Dia 09.10, sexta-feira, às 17h30

    Dellani Lima
    →  Dia 09.10, sexta-feira, às 18h00

    Mais informações

    ATIVIDADES EDUCATIVAS
    Com objetivo de estimular a mediação cultural e ampliar o universo de compreensão sobre a arte, fazem parte da programação do FIF – Festival Internacional de Fotografia atividades voltadas para professores e estudantes da rede de ensino de Belo Horizonte. As ações educativas do FIF-BH estruturam-se em torno de duas frentes: produção de material de apoio para professores, a ser utilizado em sala de aula; e visitas à Exposição “Mundo, Imagem, Mundo”, mediadas pela equipe do programa educativo em artes visuais da Fundação Clóvis Salgado. As ações visam possibilitar que o público, utilizando suas próprias percepções, experiências e repertório, amplie seu universo de compreensão sobre a arte.

    Encontro com professores
    →  Dia 07.10, das 9 às 13 horas, com medição de Bernardo Brant

    OFICINAS
    Entre os dias 05 e 10 de outubro quatro oficinas serão ofertadas pelo FIF – Festival Internacional de Fotografia. Os interessados podem se inscrever através do site www.fif.art.br até o dia 30 setembro. As atividades serão ministradas por nomes de destaque na área como Guilherme Maranhão, Gabriel Furtado, Brigida Campbell, João Perdigão e Luiz Navarro, que apresentam diferentes práticas e olhares sobre a fotografia.

    →  Inscrições para oficinas: até 30 de setembro, através do site www.fif.art.br
    Valor: R$330,00

    ASSESSORIA DE IMPRENSA
    Canal C – Comunicação e Cultura
    Jessica Soares | 31 9776-2847 | jessica@canalc.art.br
    Carol Macedo | 31 9821 3626 | carol@canalc.art.br

    Leia mais
  • 12 out

    Mesha Talks

    E aí? Pensou que a gente ia parar no Mesha LAB?
    Nesse caminho, encontramos muita gente que se identificou com nosso chamado, com desejo e coragem para testar novas formas de pensar e fazer as coisas. Pensando nisso, criamos o Mesha TALKS.

    O QUE É O MESHA TALKS?
    Uma nova experiência para conectar, inspirar e ampliar nosso movimento junto com você. Por isso, criarmos encontros mensais, abertos a todos os interessados, estilo HAPPY HOUR, com bar, música, formatos flexíveis a cada edição, encontros, conteúdos, histórias e o que mais surgir ao longo do caminho.

    O QUE NÃO É O MESHA TALKS?
    Um oráculo com todas as respostas, uma aula, mais uma palestra, um curso de formação ou uma experiência de aceleração.

    QUEM PODE PARTICIPAR?
    Viu o evento, curtiu a proposta, quer participar, garanta seu ingresso e chega mais

    >> https://www.sympla.com.br/mesha-talks__45619 <<

    Você pode participar de 2 maneiras:
    Curtindo um happy hour, se conectando com outras pessoas e assistindo aos Talks
    Se inscrevendo para falar em um dos momentos de OPEN MIC.

    COMO FUNCIONA?
    Na 1ª edição temos 2 Talks de 15 minutos com convidados muito especiais:

    • CHANCE – Gustavo Greco fala do processo criativo da sua empresa, da maneira peculiar da relação em equipe e o dia a dia do escritório. Conta como lidou com as oportunidades da vida, tornando sua empresa uma das mais premiadas do Brasil (saiba mais sobre Gustavo abaixo).

    • O poker como microcosmo da vida e dos negócios – Guilherme Kalil compartilha lições, provocações e histórias sobre o pensamento estratégico e o comportamento humano a partir da vivência na mesa de Poker. Quais os insights aprendidos e como traduzi-los na vida cotidiana? (saiba mais sobre Gulherme abaixo).

    OPEN MIC: O que é?
    Além de conectar pessoas e compartilhar ideias inspiradoras, queremos abrir espaço para descobrir novas histórias.

    Temos 2 momentos de MICROFONE ABERTO (até 15 minutos cada). Vamos selecionar 2 pessoas até 13 de outubro para compartilhar histórias, experiências, ideias, cases, modelos de negócio, cenas curtas, projetos, sonhos ou qualquer outra manifestação.

    Topa o desafio?
    Se sua resposta for sim, garanta seu ingresso e depois clique no link e nos conte um pouco mais sobre o que quer falar.

    >> https://meshalab.typeform.com/to/zwwtAq <<

    Conhece alguém que tem uma teoria, negócio, história, talento, ideia ou visão de mundo que merece ser compartilhada com a gente?

    Indica aí! No dia 13 de outubro a gente vai divulgar as 2 pessoas selecionadas para esse momento.

    **As 2 pessoas selecionadas serão reembolsadas pelo valor do ingresso.

    QUANDO ACONTECE?
    Dia 15 de outubro, quinta feira.
    Abertura do bar: 18h

    TALKS:
    1º Open Mic: 20h
    GUILHERME KALIL: 20h

    2º Open Mic: 21h
    GUSTAVO GRECO: 21h

    Vai ter DJ?
    Vai sim! Nos intervalos de cada talk, e das 22h até o bar fechar tem DJ Frankiw (Wannabe)

    ONDE?
    CENTO E QUATRO (CAFÉ 104)
    (Praça Ruy Barbosa, 104 | Centro Belo Horizonte | MG |)
    *Estacionamento conveniado: Park Box | Av. Santos Dumont, 218 | Centro | R$ 5,00 (preço único)

    QUANTO CUSTA?
    R$20 antecipado https://www.sympla.com.br/mesha-talks__45619
    R$30 na portaria.

    ** SUJEITO A LOTAÇÃO DE 100 PRIMEIROS LUGARES.

    TODOS OS TALKS SERÃO FILMADOS E VÃO PARA O NOSSO CANAL NO YOUTUBE

    Sobre Gustavo Greco
    Sócio e diretor de criação da New Greco, empresa de Design entre as mais premiadas do Brasil. Destacam-se o Design Lions no Festival de Cannes, D&AD, Grand Prix no Red Dot Design Award, iF Communication Award, London International Awards e Prêmio e Menção na Bienal Iberoamericana de Diseño. Atua também como professor na pós-graduação em Gestão de Marcas da PUC MG, e na difusão do design, integrando a direção nacional da Abedesign. É jurado de importantes premiações no Brasil e no exterior.

    Sobre Guilherme Kalil
    É engenheiro no ramo rodoviário, jogador profissional de Poker e músico. Conheceu o poker no início dos anos 2000 e se tornou profissional do time de torneios 4 Bet, o maior no Brasil, em 2010. Criou o maior podcast de poker do país, colaborou com três revistas do esporte e dá aulas para jogadores com foco no poker ao vivo. É narrador da principal série de poker no estado e colunista do site Papo de Homem. Toca bateria e baixo acústico em bandas que variam do punk rock ao country de raiz.

    CONTATO
    Peu Lamounier: 31 8801-5375
    Babi Faria: 31 8861-9951

    Leia mais