Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Categorias

  • Nenhuma categoria

Blog

  • 06 jan

    Especial de Férias no Cine 104

    “O menino no Espelho”, “Sopro” e “O Estudante” são os destaques no Cine 104, de 08 a 14 de janeiro de 2015

    Que criança nunca sonhou em ter um dia um duplo? Alguém que fizesse todas as coisas “chatas” da vida em seu lugar como ir à escola mesmo sem vontade, ficar de castigo trancado em casa ou tomar dolorosas injeções no hospital. Este é o enredo de “O Menino no Espelho”, adaptação para o cinema do livro homônimo de Fernando Sabino, um dos destaques da programação do Cine 104 a partir desta quinta-feira (08/01). Durante o mês de janeiro, o Cine 104 destacará – na sessão das 17 horas – filmes para o público infanto-juvenil. 

    Dirigido por Guilherme Fiúza Zenha e com produção de André Carreira, da produtora Camisa Listrada, “O Menino no Espelho” trata de valores universais como a infância, a amizade e a descoberta do primeiro amor através de uma história com muita aventura, humor e emoção. A distribuição é da Downtown Filmes e Paris Filmes.

    Estreia do filme argentino “O Estudante”

    Outro destaque da programação é a estreia de “O Estudante”, filme argentino premiado no Festival de Locarno, no 13º BAFICI, no Festival de Cartagena, entre várias outras premiações de destaque. Com direção de Santiago Mitre, um dos quatro diretores de “El Amor – Primeira Parte”, apresentado no Festival de Veneza em 2004, e também roteirista de “Leonera” (2008), exibido na competição do Festival de Cannes, e “Abutres” (2010), selecionado para a mostra Un Certain Regard do mesmo festival, ambos dirigidos por Pablo Trapero. Este é seu primeiro longa-metragem como diretor.

    A programação traz ainda o documentário brasileiro “Sopro”, de Marcos Pimentel, um filme sobre a existência humana e os mistérios da vida e da morte, mostrados no cotidiano de uma pequena vila rural no meio do nada, no interior do Brasil, onde algumas famílias vivem, há anos, isoladas de contatos com o mundo exterior.

    Valor do ingresso: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia entrada)

    Programação Cine 104 – 8 a 14 de janeiro de 2015 (exceto segunda-feira, 12 de janeiro)

    17h – O Menino no Espelho 

    19h – Sopro

    20h30 – O Estudante

     

    Detalhes

    Leia mais
  • 06 jan

    Sopro

    [2a semana] Sopro

    Direção: Marcos Pimentel | Brasil, 2013, 73 min | Classificação indicativa: 12 anos

    Sinopse: Sopro é um documentário sobre a existência humana e os mistérios da vida e da morte, mostrados no cotidiano de uma pequena vila rural no meio do nada, no interior do Brasil, onde algumas famílias vivem, há anos, isoladas de maiores contatos com o mundo exterior. O vento, a poeira, as montanhas, o silêncio, o tempo… Entre o inventário e o imaginário deste lugar, o homem e a natureza convivem – harmônica e conflituosamente, na imensidão de uma paisagem que parece esgotar o olhar.

    Veja o trailer.

    De  08 a 14 de janeiro de 2015
    Horário: 19 horas 
    (exceto segunda 12/01)
    Entrada R$ 10 / R$ 5 (meia entrada)

    Detalhes

    Leia mais
  • 23 dez

    Recesso no CentoeQuatro

    O CentoeQuatro entra em recesso a partir do dia 24 de dezembro até o dia 04 de janeiro de 2015. Retomamos nossas atividades a partir do dia 05 de janeiro (segunda-feira). Neste período, o Café 104 também não funciona. O Cine 104 retomará a programação normalmente a partir do dia 08 de janeiro de 2015.

    Desejamos a todos um Feliz Natal e um 2015 repleto de realizações e conquistas. Estamos programando uma série de novidades para vocês. Aguardem!

    Detalhes

    Leia mais
  • 15 dez

    Recesso

    O CentoeQuatro entra em recesso a partir do dia 24 de dezembro até o dia 04 de janeiro de 2015. Retomamos nossas atividades a partir do dia 05 de janeiro (segunda-feira). Neste período, o Café 104 também não funciona. O Cine 104 retomará a programação normalmente a partir do dia 08 de janeiro de 2015.

    Desejamos a todos um Feliz Natal e um 2015 repleto de realizações e conquistas. Estamos programando uma série de novidades para vocês. Aguardem!

    Detalhes

    Leia mais
  • 21 out

    Inscrições abertas o BAU de Natal

    O time do BAU já está se preparando para a edição de NATAL do BAU {bazar de arte e utilidades}. O evento já tem data marcada para acontecer, será no dia 14 de dezembro. Se você é designer ou artesão e tem uma produção independente, faça parte do BAU.

    O que é o BAU?

    O BAU {bazar de arte e utilidades} é um evento de negócios criativos e autônomos que reúne designers, artistas e artesãos independentes para expor e comercializar produtos feitos à mão tais como móveis, objetos de decoração, bijuterias, jóias, bolsas, cadernos, roupas, desenhos, pinturas, etc.

    O BAU {bazar de arte e utilidades} é um projeto do CentoeQuatro e sua primeira edição aconteceu em outubro de 2012. O BAU tem com a proposta de oferecer, além de boas compras sustentáveis, um espaço para desacelerar, com música boa, almoço, quitandas e muito mais.

    O que tem no BAU?

    Os produtos selecionados para o BAU passam por um olhar atento à criatividade, ao cuidado no processo de produção e à originalidade. São produtos exclusivos e originais reunidos em um espaço agradável e seguro para compras.

    Durante o BAU, o Café 104 funciona com um cardápio cheio de  opções para almoçar, petiscar ou lanchar.

    Oficinas, intervenções e performances programadas a cada edição, ampliam as opções. O evento conta também com uma programação musical que privilegiam a música brasileira, em especial a música mineira.

    O que os expositores ganham ao participar do BAU?

    Os expositores que participam do BAU expositores entram em contato direto com seu público-alvo, possibilitando
    a venda dos seus trabalhos e ampliando a base de diálogo com quem consome seus produtos. Ainda, ampliam sua visibilidade com baixo investimento e formam uma rede de contatos com pessoas que também desenvolvem trabalhos autônomos e criativos.

    Quanto, quando, onde e como?

    Domingo, 14 de dezembro
    Das 10h às 18h
    No CentoeQuatro na Praça Ruy Barbosa, 104 | Centro

    Valores dos estandes por edição:
    - R$ 120,00 (Cento e vinte Reais) estantes posicionados no corredor principal;
    - R$ 100,00 (Cem Reais) estandes localizados em outros setores.

    → Expositores recebem o ato da assinatura do contrato:
    - um voucher válido para o dia do evento para deixar seu veículo no estacionamento conveniado pelo valor
    de R$5 pelo tempo de permanência no BAU
    - voucher para 02 pessoas para uso do Café 104 no dia do evento | será oferecido desconto nos pratos principais e sucos naturais;
    - folhetos para distribuição,

    → Apoio de mídia
    _ Anúncios no Facebook
    _ Envio de newsletter para mais de 9000 nomes
    _ Folhetos e cartazes

    Quer participar do BAU?

    Preencha este formulário para a gente conhecer melhor a sua marca. Você receberá uma reposta em até 03 dias úteis.

    Detalhes

    Leia mais
  • 23 set

    [entrevista] 3 perguntas para Marcelo Luiz de Freitas, diretor de Homônimo

    Um publicitário que se apaixonou pelo mundo do cinema e mergulhou de cabeça na produção de curtas antes mesmo de exercer sua profissão. Marcelo Luiz de Freitas descobriu o interesse pelo audiovisual ainda na faculdade e atribui o gosto à capacidade que os filmes têm de dialogar com diversas gerações.

    Marcelo dirigiu e escreveu o curta “Homônimo”, produzido em 2013 pela FORMA filmes e lançado hoje no Cine 104 Mostra: o cinema de BH. A produtora foi fundada por ele, junto com o amigo Rodrigo Oliveira, há cerca de dois anos. Outra produção de destaque da dupla é o documentário “Até quando a realidade é uma verdadeira mentira?”(2012), que teve participação em festivais nos estados do RJ e RO.

    “Homônimo” fala de um homem vivendo os medos e angústias de uma vida solitária e que percebe, após profunda reflexão, que não esta tão só em sua vida. O filme e o mercado de curtas em BH são os assuntos da nossa conversa.

    Marcelo de Freitas (esquerda) com o colega Rodrigo Oliveira

    CINE 104 -“Homônimo” foi escrito por você e é seu sexto curta, lembrando que existe outro que se chama “Urbano”. Fica nítido assim seu interesse pela cidade, que aparece logo na primeira cena da produção mais atual. Como você diria que o elemento urbano se insere em “Homônimo” e por que ele é convocado?

    MARCELO LUIZ DE FREITAS - Assim como no curta Urbano, a cidade volta a ser, no curta Homônimo, peça fundamental na narrativa. Como o próprio nome diz, somos “iguais” e vivemos em cidades que, a cada dia, nos mostram que somos diferentes e que apesar de nosso isolamento, não estamos sozinhos. Isto acaba por causar em muitos, um transtorno emocional.

    CINE 104 – A vida solitária do protagonista está relacionada de que forma, para você, com a vida moderna de todos nós no ambiente das cidades?

    MARCELO LUIZ DE FREITAS - Vivemos um paradoxo. A vida moderna nos proporciona inúmeras ferramentas capazes de nos fazer relacionar e interagir mais e melhor com o meio que vivemos. No entanto, distanciamos cada vez mais do convívio real. Seja por medo da violência, ou por não conseguirmos pertencer a certos grupos. Este distanciamento que a vida moderna, literalmente, nos obriga a buscar, cresce de forma assustadora.

    CINE 104 - Como você entende o mercado de curtas-metragem em Belo Horizonte? Você acredita que é tipo de produção colocada um pouco de lado em relação aos longas?

    MARCELO LUIZ DE FREITAS - O mercado de curtas vem ganhando espaço. Exemplo disso é o surgimento de centros culturais. É o caso do CentoeQuatro, que nos dá a oportunidade de exibir nossos trabalhos e ao mesmo tempo proporciona ao público conhecer melhor o que é um filme de curta-metragem. Infelizmente, a aceitação comercial do curta pelo público ainda é muito lenta. Muitos ainda não consideram o curta-metragem um filme, e sim uma brincadeira.

    Marcelo e Rodrigo pretendem começar este ano a produção do curta “Monofobia”. Será o encerramento da trilogia da solidão, que teve início com o curta “Urbano, passando pelo curta “Homônimo” e que será finalizada agora.

    “Homônimo” é lançado nesta terça no Cine 104 Mostra com outros dois curtas mineiros. Clique aqui e assista ao trailer, leia a sinopse e confira os horários.

     *entrevista realizada por Eduarda Rodrigues
    Leia mais
  • 18 set

    Boa gastronomia, charme e aconchego no Centro de BH

    Salada de folhas com queijo de cabra e presunto de Parma. Filé de peixe grelhado com moquequinha de camarão e farofa de dendê. Tarte de banana com gengibre, mel e aniz. A chegada do chef Mário Augusto Baeta trouxe novos pratos para o cardápio do Café 104 e essas são só algumas opções dos pratos e sobremesas que você pode pedir na hora do almoço no Café 104.

    A bomboniere oferece uma carta especial de cafés além de outras delícias para lanches.

    Confira o horário de funcionamento e faça uma visita:

    Almoço: de segunda a sábado, das 11h30 às 15h
    Bomboniere: segunda, das 9h às 16h20 | de terça a sábado, das 09h às 21h20 | domingo, das 16h às 21h

    Aceitamos todos os cartões de crédito e débito

    Leia mais
  • 09 set

    Entrevista com Felipe David Rodrigues, diretor do longa A Balada do Provisório

    A primeira obra do diretor Felipe David Rodrigues traz a história de André Provisório, um homem melancólico e transitório que se envolve com Mariana, uma atriz de teatro experimental. Como o título sugere, o longa-metragem A Balada do Provisório apresenta um herói imprevisível e que, segundo o diretor, carrega um cansaço imenso do mundo nas costas enquanto mente e seduz. Provisório renuncia, porém, a denominação de clássico malandro carioca porque trabalha, e muito, fazendo bicos.

    O filme de 2012 é uma comédia dramática, gênero curioso pelo aparente antagonismo que sugere. O próprio Felipe fala dessa relação de oposição, “é como se o primeiro anulasse o segundo”, acredita ele. Outro ponto interessante é a escolha da gravação em preto e branco, que evoca uma certa melancolia e, de acordo com o diretor, a opção se deu por uma ideia mais literária do que estética, “queria que A Balada do Provisório fosse um filme com saudade do passado do cinema”.

    Felipe desconstrói um pouco a ideia de que seu filme está inserido dentro do cinema marginal. Segundo ele, esse cinema é apenas “um dos ingredientes d’A Balada do Provisório, mas a intenção era a de fazer um filme clássico, que misturasse vários gêneros de que gosto, quebrando uma certa barreira de que tal escola ou estilo cinematográfico não dialoga com outro”.

    A narrativa é ambientada na cidade do Rio de Janeiro, basicamente entre os bairros do Catete e Laranjeiras. A famosa topografia carioca das praias e dos morros é completamente ignorada no filme, já que seus personagens não frequentam esse tipo de lugar. Eles circulam entre o centro comercial e a Zona Sul, e suas relações com a cidade se dão a partir da necessidade de composição desses personagens.

    A produção conta com um elenco que inclui Edson Zille e Thiare Maia nos papéis principais e foi selecionada para o 8º Festival de Cinema Latino Americano de São Paulo. Recentemente esteve em exibição no Canal Brasil e agora chega a BH.

    O jovem diretor manda um recado para a plateia mineira dizendo que gostaria de vê-la “despreparada” para assistir seu longa. “Acho que o desarmamento do espectador diante da tela é fundamental pra que um filme possa acrescentar algo”.

    O filme está em cartaz no Cine 104. Confira a programação.

    Entrevista concedida a Eduarda Rodrigues

    Leia mais
  • 08 ago

    Cine 104 convida os professores para o cinema

    Foram dezenas de escolas participantes, 24 sessões comentadas e mais de 1.900 alunos da rede pública de ensino beneficiados pelo projeto A Escola Vai ao Cinema, que encerra sua primeira etapa. Agora, o Cine 104 abre suas portas para um encontro com outro público escolar, os professores.

    Nesta segunda etapa, o programa acontece em parceria com o Grupo Mutum: Educação, docência e cinema – Grupo de Pesquisa sobre Condição e Formação Docente (PRODOC/FAE/UFMG). O formato continua o mesmo, importantes filmes da cinematografia brasileira são exibidos e comentados por dois especialistas. O debate com os participantes visa estimular a troca de impressões e saberes entre sujeitos atuantes em diferentes campos da cultura.

    No diálogo serão abordados tanto aspectos próprios do fazer e da fruição cinematográfica como elementos relacionados às temáticas dos filmes exibidos, que tratam de questões referentes à juventude, às personagens que povoam o nosso cotidiano e às diferentes experiências sensoriais, afetivas, políticas e éticas vivenciadas por homens e mulheres urbanos na contemporaneidade. (mais…)

    Detalhes

    Leia mais
  • 07 ago

    Inscrições abertas para o BAU de 14 de Setembro

    A edição de julho do BAU foi incrível, e agora, depois de tomar um fôlego já estamos prontos para mais um encontro com a maior comunidade de designers e artesãos independentes do estado de Minas Gerais. Nosso próximo encontro será no dia 14 de setembro. Vem para o BAU!

    O que é o BAU?

    O BAU {bazar de arte e utilidades} é um evento de negócios criativos e autônomos voltado para designers, artistas e artesãos que expõem e comercializam produtos feitos à mão como móveis, objetos de decoração, bijuterias, jóias, bolsas, cadernos, roupas, desenhos, pinturas, etc. Um espaço para desacelerar. Um bom domingo, com música boa, almoço quitandas e compras sustentáveis. (mais…)

    Detalhes

    Leia mais